Notícias

Setor têxtil é o primeiro a discutir o PDP com o governo

Um dia após o anúncio da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), que ocorreu no Rio de Janeiro, no dia 12 de maio, o ministro Miguel Jorge recebeu cerca de 50 representantes do setor têxtil, arregimentados pela ABIT, no Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC), no dia 13, em Brasília, para apresentar e discutir as propostas com os empresários. O encontro inaugurou a primeira reunião do Fórum de Competitividade do Setor têxtil que, agora, deve se reunir mensalmente. “Não é uma coincidência receber o setor têxtil primeiramente. Isto está acontecendo porque vocês, assim como nós, são persistentes”, declarou o ministro na abertura da reunião.


A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), responsável pela secretaria-executiva do PDP, apresentou detalhadamente o plano industrial do governo, suas metas, desafios e cronograma. “Este não é um Planejamento apenas de vontade, mas de prática. A grande diferença deste em relação a outras iniciativas, em anos, é a participação ativa dos setores privados e do governo na discussão de desafios, metas, indicadores, cronograma e acompanhamento. É um plano muito prático”, disse Reginaldo Arcuri, presidente da ABDI.


O presidente da ABIT, Aguinaldo Diniz, enfatizou a necessidade de ser retomado o Revitaliza, reconsiderar o tamanho das empresas para acesso aos benefícios e difundir junto a todas as esferas do governo a proposta de fornecimento de uniformes escolares para os milhões de estudantes da primeira à nova série das escolas públicas.


“Vocês têm o direito e o dever de não apenas implantar e acompanhar o desenvolvimento deste Plano, mas principalmente, nos cobrar os instrumentos necessários para o cumprimento das metas” esclarece o ministro.


Plano Estratégico do Setor Têxtil


Armando Meziat, Secretário de Desenvolvimento de Produção do MDIC, juntamente com sua equipe, apresentou a primeira versão de um Plano Estratégico para o Setor Têxtil que visa, como meta principal, aumentar o faturamento do setor de R$ 33 bilhões para R$ 41 bilhões até 2010. Para alcançar tal meta, outros objetivos estão sendo desenhados: capacitação, incremento de tecnologias, aumento das exportações, acordos internacionais e fiscalização do comércio ilegal.


Após longa discussão, onde vários empresários puderam opinar, ficou definido que as alterações já solicitadas serão analisadas e incorporadas ao Planejamento para ser ratificado novamente pelo setor na próxima reunião do Fórum, que será em junho.


Frente Parlamentar no Fórum de Competitividade


Os coordenadores da Frente Parlamentar para o Desenvolvimento da Indústria Têxtil e de Confecção, senadora Ideli Salvati (PT-SC) e deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que articularam a realização do Fórum, estiveram presentes durante o evento em companhia de outros deputados federais integrantes da Frente como José Fernando Aparecido de Oliveira (PV-MG), Carlito Meers (PT-SC) e Vanderlei Macris (PSDB-SP).


“Agradeço ao ministro Miguel Jorge por cumprir com sua palavra em reinstalar esse Fórum e receber o setor têxtil em primeira mão logo após o anúncio da nova política industrial do governo” declarou a senadora Ideli. “Nós, quando lançamos a Frente Parlamentar, nos comprometemos com a meta de criar um milhão de novos em três anos. Acreditamos que a integração do setor com o governo na aplicação dessa política, seus ajustes e práticas, certamente nos ajudará a gerar esses postos de trabalho que o Brasil tanto precisa”, enfatizou o deputado Rocha Loures.




Clique aqui e conheça a primeira versão do Plano Setorial Têxtil do MDIC


(Fonte: Abit)


Compartilhe:

<< Voltar