Indústria do Paraná cria mais de sete mil vagas de emprego

Veículo: G1

A indústria paranaense criou 7.632 novos postos de trabalho entre janeiro e maio deste ano. O dado, divulgado pelo Caged, é considerado positivo diante do cenário de desemprego que atinge o país, mas ainda está longe do esperado. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o saldo de vagas foi 33% menor.

Para aumentar o ritmo de contratações, a indústria depende de movimentações políticas e econômicas. “A confiança de empresários e investidores só vai ser recuperada quando perceberem que o país está corrigindo seu rumo. Por isso, é fundamental que, entre outras medidas, o Congresso Nacional aprove as Reformas Tributária e da Previdência o mais rapidamente possível, o que sinalizará um compromisso do país com seu futuro”, analisa Edson Campagnolo, presidente do Sistema Fiep.

Boa notícia para o setor têxtil

Dos 38.272 empregos gerados no Paraná, os mais de sete mil na indústria correspondem a 20% do total. E vêm acompanhados de algumas boas notícias; entre elas, o aumento de contratações na indústria têxtil e de artigos de vestuário. Foram 1.314 novos empregos em um setor que vinha em queda. “Em 2018, foram fechados 4.365 postos de trabalho nesse segmento. O resultado acumulado este ano sinaliza uma reversão dessa trajetória”, comenta Evânio Felippe, economista do Sistema Fiep.

Outros setores da indústria paranaense que tiveram destaque no relatório do Caged foram o de metalurgia, com 928 novos empregos, o automotivo, com 857, e o de borracha e plástico, com 602. Para Campagnolo, esses dados devem ser vistos de forma positiva. Entre 2014 e 2016, mais de 76 mil postos de trabalho foram fechados somente na indústria paranaense, como reflexo da crise econômica. “Recuperamos cerca de 15 mil empregos desde 2017. No entanto, muitos industriais estão em compasso de espera, retardando investimentos enquanto não percebem sinais mais consistentes de retomada da atividade econômica”, analisa.

Vagas por região

A Região Metropolitana de Curitiba foi a que mais criou vagas no acumulado do ano, com 2.804 contratados. Depois vem a região de Londrina e Maringá, no Norte, com 2.742, o Oeste, incluindo Cascavel e Toledo, com 1.236, o Sudoeste, próximo a Pato Branco e Francisco Beltrão, com 963, e Campos Gerais, onde fica Ponta Grossa, com 263 contratações.