Exportações de calçados caem 24,5% em junho

Veículo: Valor Econômico

As exportações brasileiras de calçados atingiram US$ 64,5 milhões em junho, com uma queda inesperada de 24,5% em relação ao mesmo mês de 2018, informou a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). Em volume, houve redução de 25,8%, para 6,4 milhões de pares. "Países que são compradores sazonais fazem mais encomendas em maio e junho, e depois deixam de comprar nos meses seguintes. Neste ano, eles zeraram a posição mais cedo", afirmou Heitor Klein, presidente-executivo da Abicalçados. O executivo disse que, de 120 países que compram do Brasil, 14 deixaram de importar em junho - Tunísia, Sri Lanka, Sint Maarten, Sérvia, São Tomé e Príncipe, Líbia, Lesoto, Dominica, Croácia, Camarões, Barein, Barbados, Bangladesh e Azerbaijão. Ao mesmo tempo, compradores regulares reduziram as importações fortemente, como Guatemala (queda de 31,8%), Suriname (46,4%), Canadá (86,9%), Colômbia (30%), Paraguai (53%), Bolívia (38,8%) e Peru (37%). Klein destacou ainda a queda de 49,7% nas vendas para a Argentina - segundo maior importador de calçados brasileiros -, para US$ 11,6 milhões. De acordo com o executivo, o desempenho é resultado da crise econômica no país vizinho. Também houve redução de 39,8% nas vendas para a França, que atingiram US$ 7,2 milhões. Já os embarques para os EUA, principal destino das exportações brasileiras, cresceram 2,4% em junho, para US$ 16,1 milhões. Na avaliação da Abicalçados, o desempenho de junho não indica tendência de queda. Klein disse que as vendas para os EUA seguem fortes, com varejistas americanos substituindo calçados da China por produtos de outras origens. Klein disse ainda que exportadores brasileiros que participaram da Expo Riva Schuh, feira tradicional de calçados realizada na Itália em junho, fecharam um total de US$ 45 milhões em negócios, sendo que US$ 35 milhões serão embarcados neste semestre. No primeiro semestre, os embarques somaram US$ 480,7 milhões, 1,3% a menos que o reportado no mesmo intervalo de 2018. Em volume, houve avanço de 5,3%, para 58,3 milhões de pares. As exportações de calçados esportivos encolheram 11,6%, para 1,3 milhão de pares, e 26,4% em valor, para US$ 16,5 milhões. Já as vendas de chinelos cresceram 4,7% em volume, para 29,2 milhões de pares, e 11,9% em valor, para US$ 90,2 milhões. As importações de calçados no primeiro semestre caíram 1,3% em valor, para US$ 180,9 milhões. Em volume, houve aumento de 2,4%, para 15,6 milhões de pares. As importações de calçados esportivos cresceram 25,4%, para 4,5 milhões de pares. As importações de chinelos cresceram 24,3%, para 652,3 mil pares.