Um terço dos empresários vê demissões sem reforma

Veículo: O Estado de S. Paulo

Coluna do Broadcast

Um terço das empresas deve demitir funcionários ou abortar planos de investimento em 2019 caso o governo não consiga fazer andar a proposta de reforma da Previdência. A previsão aparece em um levantamento feito pela consultoria de recolocação de executivos Signium, que ouviu 210 empresários e profissionais de alto comando das companhias. Dos entrevistados, 25% disseram que suas empresas vão cancelar investimentos programados para este ano, e 8%, que suas corporações vão cortar vagas caso a reforma não seja aprovada no Congresso Nacional. Embora expressivo, o número ainda é menor do que os 64% de entrevistados que disseram que não mudarão seus planos caso a reforma da Previdência naufrague.

Prioridades. O levantamento mostra que 65% dos empresários e executivos consideram que, para o Brasil, a reforma da Previdência é a iniciativa mais importante do governo, à frente da reforma tributária (20%) e da aprovação do pacote anticrime apresentado ao Congresso (9%). Já para os negócios, a prioridade é outra: dos entrevistados, 48% consideram a reforma tributária a iniciativa de maior peso, à frente da previdenciária (26%).

Lado bom. Na hipótese de a reforma da Previdência ser aprovada, 51% dos entrevistados disseram acreditar que suas empresas vão investir mais, e 57% acreditam em reflexos positivos sobre seus negócios. Nada menos que 80% dos entrevistados disseram que a economia deve melhorar se a reforma for aprovada.