Notícias

Varejo tem maior alta desde 2013, mas ainda está 7% abaixo do pico

As vendas no varejo brasileiro avançaram 2,3% em 2018, segundo informações divulgadas pelo IBGE nesta quarta-feira (13). Apesar de ser o melhor resultado desde 2013, apenas 3 dos 8 grupos analisados pelo instituto tiveram alta no período.

Mesmo apresentando alta pelo segundo ano seguido, o setor ainda precisa de se movimentar para superar a queda acumulada dos anos de 2015 e 2016, diz a gerente da pesquisa do IBGE, Isabella Nunes.

"Há ainda um espaço de recuperação para chegar ao ponto mais elevado. Na verdade, ele [o varejo] está a 7% do ponto mais elevado, que foi em outubro de 2014."

Os grupos que ficaram no positivo foram o de supermercados, alimentos, bebidas e fumos, o de artigos farmacêuticos, perfumaria e cosméticos e o de outros artigos de uso pessoal e doméstico.

Esse sintoma de recuperação de crise pode ser percebido também no varejo ampliado, que engloba veículos e material de construção. Segundo a FecomercioSP, o ritmo de vendas nesse recorte está 24% menor do que em 2013.

Enquanto o acumulado do ano se manteve positivo, o mês do Natal ficou em queda. As informações divulgadas nesta quarta mostram que, em dezembro, o setor apresentou o maior recuo para o período desde 2000, com uma retração de 2,2%, na relação com novembro. A projeção da Bloomberg era que o volume de vendas do varejo recuasse 0,1%.

Para Nunes, o bom desempenho do setor na Black Friday fez com que dezembro descontasse as vendas do mês anterior e recuasse.

"A cada ano, observamos que o patamar de vendas de novembro vem se aproximando do nível de dezembro. Isso significa que essas festas de fim de ano vêm sendo antecipadas devido à Black Friday."

Economistas do Boa Vista SCPC corroboraram a tese de Nunes, indicando que a nova data do comércio esteja comprometendo as vendas do Natal, principal data do ano para o setor. Eles destacam a queda mensal em dezembro de 5,1% das vendas de móveis e eletrodomésticos, após alta de 4,2% em novembro.

Esse movimento, de alta na Black Friday e queda no Natal, ocorreu também com artigos pessoal e doméstico e tecidos, vestuários e calçados.

Veículo: Bem Paraná

Seção: Notícias



Compartilhe:

<< Voltar