Moro pede ajuda de prefeitos para aprovar lei anticrime no Congresso

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, pediu ontem a ajuda de prefeitos para aprovar o pacote anticrime que pretende enviar em fevereiro ao Congresso. O ministro, que se reuniu com representantes da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) em Brasília, não deu detalhes de como será o projeto, mas prometeu que fará pessoalmente uma apresentação do texto assim que ele ficar pronto. 

"Eu achei o ministro o mais político de todos. Porque ele começou [a reunião] pedindo o nosso apoio. Ele falou que vai mandar para o Congresso, até o fim de fevereiro, um projeto que vai endurecer as penalidades para o crime", afirmou o prefeito de Campinas e presidente da FNP, Jonas Donizette (PSB). 

Segundo ele, é provável que Moro receba o apoio dos prefeitos para que a proposta avance no Legislativo. "Nós assumimos o compromisso com ele. É claro, primeiro nós vamos conhecer o projeto, mas a Frente Nacional de Prefeitos tem uma bancada no Congresso de cerca de 135 deputados e nós estaríamos conversando com esses deputados, pedindo que eles apoiassem esse endurecimento das penas de crimes contra a vida e tráfico de entorpecentes", disse. 

Donizette afirmou ainda que o grupo pediu a Moro para que fossem incluídas no projeto propostas com uma abordagem mais social do tema. "A gente sabe que se der uma oportunidade para os jovens, nós vamos ter menos jovens que vão entrar no crime."

O envio ao Congresso do projeto de lei anticrime é uma das metas prioritárias de Moro para os primeiros cem dias de governo. O pacote terá três focos: o combate ao crime organizado, ao crime violento e à corrupção. O ministro tem afirmado que o aperfeiçoamento da legislação é um dos caminhos para enfrentar esses três problemas.

Ciente da dificuldade que vai enfrentar para conseguir o apoio dos parlamentares, Moro também já iniciou uma aproximação com os governadores e marcou para a próxima segunda-feira uma reunião para apresentar o projeto a eles e aos secretários estaduais de segurança pública.

Ontem, a comitiva de cerca de dez prefeitos também apresentou demandas ao ministro, como uma maior participação dos municípios nas decisões envolvendo o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP) e criação de uma linha de crédito do BNDES voltada para projetos da área de segurança dos municípios.

Veículo: Valor Econômico

Seção: Política