Bolsa opera em firme alta após STF deixar Lula mais perto de ser preso

Veículo: Estadão 

Seção: Economia e Negócios 

A Bovespa segue em alta superior a 1,5% nesta quinta-feira, numa reação positiva do mercado à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de rejeitar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O exterior também contribui para o otimismo, com as bolsas da Europa subindo mais de 2,0% amparadas pela leitura de que Estados Unidos e China estão abertos a negociações para superarem suas desavenças comerciais. No início do pregão, a Bolsa teve alta superior a 2,0%. No início da tarde, o índice à vista da Bolsa valorizava 1,62%, aos 85.722,12 pontos.

Ao rejeitar o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do petista, a Corte ajuda os agentes nesta quinta-feira a redesenhar o tabuleiro eleitoral de 2018, agora com a sinalização mais clara de que o líder nas pesquisas pela corrida presidencial ficará de fora da disputa. 

Até o início da tarde, ainda não havia tido reação dos investidores à notícia de que advogados do Partido Ecológico Nacional (PEN) pediram hoje STF medida cautelar para permitir a execução provisória de pena, como a prisão, após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O pedido será analisado pelo ministro Marco Aurélio Mello, relator da ação que discute a prisão em segunda instância de uma maneira abrangente. Marco Aurélio votou a favor do habeas corpus de Lula no julgamento de ontem.

No mercado de câmbio local, o dólar segue em queda, negociado a R$ 3,3249 no balcão (-0,47%), em meio à reorganização do tabuleiro eleitoral. O comportamento da moeda no exterior também contribui para o ajuste em baixa.