Notícias

Dona da Ellus e Salinas tem prejuízo de R$ 49 milhões no 4º trimestre

Veículo: Valor Econômico 

Seção: Empresas 

SÃO PAULO - A Inbrands, dona de marcas como Richards, Ellus, Salinas, Mandi, VR e Bobstore, reportou no quarto trimestre do ano passado um prejuízo líquido de R$ 48,9 milhões, ante umaa perda de R$ 582 mil no mesmo intervalo de 2016. O resultado deveu-se à queda em vendas e a ajustes não recorrentes no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) no total de R$ 77 milhões.

Foram feitos mudanças nas estimativas contábeis da provisão para créditos de liquidação duvidosa, teste de baixa contábil nos ativos tangíveis e intangíveis e ajustes de inventário. Segundo a Inbrands, “os ajustes foram efetuados para demonstrar os ativos da companhia de forma mais conservadora”. 

Com isso, o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização ficou negativo no quarto trimestre em R$ 36,76 milhões, ante um resultado positivo de R$ 7,98 milhões no mesmo intervalo de 2016.

A receita líquida no quarto trimestre caiu 14,1%, para R$ 184,40 milhões. Segundo a companhia, a queda foi motivada pela eliminação de vendas que não contribuíam para o fortalecimento e longevidade das marcas. As vendas no conceito mesmas lojas (unidades abertas há mais de 12 meses) caíram 2,3% no quarto trimestre, na comparação anual. 

As despesas de vendas, gerais e administrativas recuaram 14,9%, para R$ 133,90 milhões. O resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 23,73 milhões, ante R$ 36,72 milhões entre outubro e dezembro de 2016.

No ano, a Inbrands atingiu prejuízo líquido de R$ 90,41 milhões, ante perda de R$ 96,64 milhões em 2016. A receita líquida no ano caiu 13,5%, para R$ 714,17 milhões. O Ebitda chegou a R$ 28,2 milhões, com queda de 50,2% sobre o ano anterior. O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 104,24 milhões ante R$ 135,80 milhões também negativos no mesmo período de 2016. A redução na despesa financeira líquida deveu-se à menor taxa de juros e ao menor nível de endividamento, em função da capitalização de R$ 50 milhões.



Compartilhe:

<< Voltar