IPCA-15 sobe 0,34% em outubro e acumula alta de 2,71% em 12 meses

Veiculo: Valor Econômico.

Seção: Brasil.

Prévia da inflação oficial brasileira, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) acelerou de 0,11% em setembro para 0,34% em outubro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou acima do verificado em outubro de 2016 (+0,19%).

Em 12 meses, houve alta de 2,71%, acima dos 2,56% verificados nos 12 meses imediatamente anteriores. Foi a primeira aceleração da inflação pelo indicador de 12 meses desde agosto de 2016. Mesmo assim, a taxa segue abaixo do piso da meta, de 3% neste ano — o centro da meta é de 4,5%. 

No acumulado do ano, o IPCA-15 registrou elevação de 2,25%. No mesmo período do calendário anterior, o índice subiu 6,11%. É o menor acumulado para outubro desde 2006 (2,22%). 

O IPCA-15 ficou praticamente em linha com a média de 0,35% apurada pelo Valor Data com 25 consultorias e instituições financeiras. O intervalo dessas estimativas ia de alta de 0,24% a 0,40%. Para o acumulado em 12 meses, a previsão era de elevação de 2,71%. 

Grupos

Dos nove grupos avaliados, habitação acelerou a alta de 0,26% em setembro para 0,66% um mês depois. Alimentação e bebidas foram de queda de 0,94% em setembro para recuo de 0,15% em outubro. Conforme o levantamento do IBGE, os alimentos completaram em outubro seu quinto mês consecutivo em deflação. 

Transportes, por sua vez, partiram de aumento de 1,25% em setembro para 0,60% em outubro. O motivo foi a diluição da alta do preço da gasolina (de 3,76% em setembro para 1,45% em outubro) e das passagens aéreas (de 21,30% em setembro para 7,35% em outubro). 

Em artigos de residência (-0,13%), houve impacto do item eletrodomésticos (-0,57%) e, no grupo comunicação (+0,48%), influenciou o reajuste no item telefone celular (1,30%). 

A diferença do IPCA-15 para o IPCA, que mede a inflação oficial do país, é basicamente o período de coleta. Os preços foram coletados no período de 14 de setembro a 11 de outubro de 2017 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 16 de agosto a 13 de setembro de 2017 (base).