Cunha é condenado a 15 anos de prisão na Lava-Jato

Veículo: Valor 

Seção: Política 

O ex­presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB­RJ) foi condenado a 15 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. A sentença é do juiz federal Sergio Moro, titular da Operação Lava­Jato na primeira instância no Paraná. A condenação se deu em processo em que Cunha é acusado de receber propinas em operação para aquisição de campo petrolífero em Benin, na África, pela Petrobras, em 2011. Clique aqui para ver a íntegra da sentença 

"Há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a quinze anos e quatro meses de reclusão, que reputo definitivas para Eduardo Cosentino da Cunha. Quanto às penas de multa, devem ser convertidas em valor e somadas", determinou o juiz, que ordenou ainda que Cunha inicie o cumprimento de pena em regime fechado. 

O ex­parlamentar foi preso preventivamente em Brasília em 19 de outubro, por ordem de Sergio Moro. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Eduardo Cunha recebeu propina de 1,3 milhão de francos suíços. A acusação aponta que o suborno foi pago pelo operador do PMDB João Augusto Henriques, que usou a offshore Acona International Investments no Banco Suíço BSI. O negócio foi fechado pela diretoria de Internacional da estatal, lote político do PMDB na Petrobras, segundo a acusação. 

O dinheiro teve origem na Petrobras, de acordo com a Lava­Jato. A petrolífera adquiriu 50% dos direitos de exploração do campo de petróleo africano ao preço de US$ 34,5 milhões.