Saques do FGTS podem chegar a R$ 35 bi, diz presidente da Caixa

Veículo: Estadão
Seção: Economia

O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, afirmou que o resultado do primeiro dia de saques das contas inativas do FGTS fez com que o governo revisasse para R$ 35 bilhões a estimativa do total que deve ser liberado até o dia 31 de julho. A projeção anterior era de R$ 30 bilhões. Os números foram informados pelo executivo após reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto. 

Segundo Occhi, os R$ 3,26 bilhões sacados por meio das contas inativas na sexta-feira fazem parte de um total de R$ 4 bilhões que foram injetados na economia na sexta-feira, através do FGTS, considerando também os montantes a que tem direito os trabalhadores demitidos. E dos R$ 3,26 bilhões sacados, R$ 1,89 bilhão foi creditado em contas de 1,9 milhão de correntistas da Caixa, que receberam o dinheiro automaticamente.

O calendário da Caixa para os saques de contas inativas prevê que a partir do dia 10 de março poderão sacar aqueles que nasceram nos meses de janeiro e fevereiro. A expectativa de Occhi para quem nasceu nos dois primeiros meses é de que os saques cheguem a R$ 6,97 bilhões. Para nascidos nos meses de março, abril e maio, a projeção da Caixa é de R$ 11 bilhões. Os saques para os aniversariantes desses três meses começam no dia 10 de abril. Para todos os trabalhadores, o período de saques se encerra em 31 de julho. 

Occhi ressaltou também que a medida deve ter um impacto de 0,5% no PIB de 2017, segundo projeção do governo federal. "O presidente Michel Temer está muito satisfeito", afirmou o executivo, em referência aos resultados do primeiro dia de saque. Ele disse que sugeriu ao presidente que visitasse uma agência da Caixa para acompanhar os trabalhos e que Temer lhe prometeu avaliar um dia e um local apropriados para a visita.