Notícias

Trabalhadores e empregadores têm consenso sobre mínimo regional 2017

FIESC, FECOMÉRCIO, FETRANCESC, FAESC, FEHOESC e representantes de centrais sindicais laborais de Santa Catarina chegaram a consenso para reajustar o mínimo regional. Os pisos acordados para as quatro faixas foram de R$ 1.078, R$ 1.119, R$ 1.179 e R$ 1.235. O índice médio de reajuste foi de 6,76%. Os novos valores foram acordados durante reunião nesta quinta-feira (2), em Florianópolis. O presidente do Sintex, Ulrich Kuhn, e o diretor-executivo, Renato Valim, também participaram da reunião.  

Clique aqui e saiba mais.

“Estivemos empenhados na busca de um acordo que fosse bom tanto para os trabalhadores quanto para os empregadores. Temos orgulho do fato de que Santa Catarina também nessa questão foi pioneira e tem uma legislação inédita em relação a outros Estados”, disse o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, lembrando que o governo está propondo a reforma trabalhista que tem como grande mérito a valorização da negociação. “Isso em Santa Catarina fazemos desde 2010, quando entrou em vigor o piso regional”, afirmou.

Côrte destacou o amadurecimento das negociações nesse período. “Podemos atestar a lealdade tanto dos trabalhadores quanto dos empresários no sentido de buscar sempre um bom entendimento e uma boa negociação. Portanto, registramos com satisfação, mais uma vez, que chegamos a um bom resultado. Queremos que esse nível de entendimento se irradie para outras inciativas que os dois lados possam tomar sempre para melhorar a qualidade de vida e a qualificação dos trabalhadores”, concluiu.

“Cumprimos o dever, como representante dos trabalhadores de modo geral, de negociar e acertar os valores do piso. Sempre tenho falado nas negociações que a responsabilidade é das duas partes. Então, cumprimos com o nosso papel e esperamos que esse processo de negociação seja contínuo”, afirmou o diretor da Federação dos Trabalhadores no Comércio (FECESC), Ivo Castanheira, que também é coordenador sindical do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-SC). “Sempre torcemos para que a economia vá bem. Na medida em que a economia vai bem, os trabalhadores também poderão ter uma negociação melhor”, finalizou.

Entre os participantes da negociação estiveram presentes pelo lado empregador: FIESC (Federação das Indústrias de SC); FAESC (Federação da Agricultura); FECOMÉRCIO (Federação do Comércio), FETRANCESC (Federação das Empresas de Transportes de Cargas) e Federação dos Hospitais (FEHOESC). Entre as instituições que representaram os trabalhadores estiveram: FECESC, FETIESC, FETIAESC, Força Sindical, Nova Central dos Trabalhadores, UGT, CUT, FETAESC e Dieese. 

(Com informações da Fiesc/Foto: Filipe Scotti)



Compartilhe:

<< Voltar