Mercado projeta inflação de 4,71% e Selic de 9,50% em 2017

Veículo: Estadão
Seção: Economia

BRASÍLIA - Na esteira da divulgação do IPCA-15 de janeiro, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para a inflação neste ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado na manhã desta segunda-feira, 23, pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA - o índice oficial de inflação - em 2017 foi de 4,80% para 4,71%. Há um mês, estava em 4,85%. Já a projeção para o IPCA de 2018 permaneceu em 4,50%, mesmo patamar de quatro semanas atrás. 

Na prática, as projeções de mercado divulgadas hoje no Focus indicam que a expectativa é que a inflação se aproxime do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação até 6,0%).

[O que é a Selic]

Expectativa é que a inflação se aproxime do centro da meta em 2017 e 2018

Sob influência da decisão de política monetária do início do mês, quando o Banco Central acelerou o corte de juros, e dos dados mais recentes sobre a inflação, o mercado voltou a reduzir suas projeções para a Selic no fim de 2017 e 2018. O Focus desta segunda-feira trouxe que a mediana das previsões para a Selic este ano passou de 9,75% para 9,50% ao ano. Há um mês, estava em 10,50% ao ano.

No Focus de hoje, a Selic média de 2017 passou de 11,08% para 10,91% ao ano. Há um mês, a mediana da taxa média projetada para o ano era de 11,53%. No caso de 2018, a Selic média foi de 9,70% para 9,50% ao ano. Quatro semanas antes, estava em 10,00%.  

Para o grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções (Top 5) de médio prazo, a taxa básica terminará 2017 em 9,50% ao ano, mesmo patamar de uma semana antes. Há um mês, a projeção era de 10,00% ao ano. O Top 5 também manteve a projeção para a Selic no fim de 2018, de 9,50%, ante 10,25% um mês atrás.

PIB.  O Relatório de Mercado Focus indicou manutenção nas projeções de atividade para 2017 e 2018. Pelo documento divulgado hoje, a mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano seguiu com alta de 0,50%. Há um mês, a perspectiva também era de avanço de 0,50%.

Para 2018, o mercado manteve a previsão de alta de 2,20%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,25%. 

No último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado no fim de dezembro, o BC projetou recuo de 3,3% do PIB em 2016 e avanço de 0,8% para 2017. Já o Ministério da Fazenda trabalha com estimativa de crescimento de 1,0% para este ano. Esta projeção deve ser revisada, conforme o ministro Henrique Meirelles, nos próximos dias.  

Câmbio. A cotação da moeda americana estará em R$ 3,40 no encerramento de 2017, mesmo valor projetado uma semana atrás, segundo o boletim Focus de hoje. Há um mês, a expectativa estava nos R$ 3,50. O câmbio médio de 2017 foi de R$ 3,36 para R$ 3,35, ante R$ 3,42 de um mês antes. 

No caso de 2018, a projeção para o câmbio no fim do ano seguiu em R$ 3,50. Quatro semanas antes, estava no mesmo patamar. Já a projeção para o câmbio médio no próximo ano seguiu em R$ 3,45, ante R$ 3,48 de quatro semanas atrás.