Bovespa tem 4ª alta seguida e dólar cai a R$ 3,20

Veículo: O Estado de S. Paulo

O dólar intensificou a queda frente ao real nos últimos minutos da sessão desta segunda-feira, 10, antecipando um possível resultado favorável à PEC do Teto de Gastos no Plenário da Câmara. No mercado à vista, o dólar fechou em baixa pelo segundo dia consecutivo, com queda de 0,51%, aos R$ 3,2003. Na mínima, a divisa chegou aos R$ 3,2001. De acordo com dados registrados na clearing da BM&F Bovespa, o volume de negócios somou apenas US$ 146,734 milhões. 

A Bovespa também reagiu à votação sobre a proposta que limita o gasto público à inflação do ano anterior e avançou 0,92%, aos 61.668,32 pontos, emplacando o quarto dia seguido de alta e renovando o pico em 2016. 

A tramitação da PEC 241 no Congresso foi o principal catalisador do mercado num dia de baixo volume de negócios - por causa de feriado nos EUA - e agenda econômica esvaziada no Brasil e no exterior. Lá fora, contribuíram para a alta da Bolsa e a queda do dólar os avanços dos contratos futuros de petróleo, apoiados pelos comentários otimistas de autoridades da Rússia, Venezuela e Arábia Saudita sobre a possibilidade de um congelamento da produção da matéria-prima. 

A Bovespa reagiu à votação sobre a proposta que limita o gasto público à inflação do ano anterior e avançou 0,92%, aos 61.668,32 pontos

Na disputa presidencial dos Estados Unidos, a avaliação de derrota do candidato republicano, Donald Trump, em debate contra a democrata Hillary Clinton também alimentou o apetite por ativos de risco.  

Mercado de ações. A expectativa de queda de juros no Brasil já na próxima reunião do Copom, na semana que vem, também favoreceu a Bolsa. Esse sentimento ganhou mais força na última semana, quando o IPCA teve uma importante desaceleração, para 0,08% em setembro. Um possível afrouxamento monetário no Brasil reduz a atratividade da renda fixa, o que poderia, em tese, aumentar o apetite dos investidores pela renda variável.

No cenário internacional, o principal fator a alimentar o apetite dos investidores foram as altas de 2,6% do minério de ferro no mercado chinês e os ganhos de mais de 2% do petróleo nas bolsas de Nova York e Londres. Como resultado, as ações da Petrobrás tiveram ganhos de 3,19% (ON, ações com direito a voto) e 3,08% (PN, preferenciais). Vale ON e PNA foram ainda mais longe, com ganhos de 5,83% e 5,99%, respectivamente, liderando as altas do Ibovespa.

Na contramão do mercado, Vivo Telefônica PN caiu 6,92% - maior perda do índice - após a notícia da troca de presidentes na empresa. Amos Genish sai da empresa, a pedido seu, a partir de 1º de janeiro, sendo substituído por Eduardo Navarro, atual diretor comercial da companhia.