Presidente reúne hoje líderes e equipe ministerial

Veículo: Valor Economico 

Seção: Política 

O presidente Michel Temer chamou os parlamentares líderes de partidos que apoiam o governo no Congresso para acompanhar na noite de hoje reunião com sua equipe ministerial para preparar o encaminhamento e avanço das propostas relacionadas ao limite de gasto público no país e alterações na Previdência Social ­ prioridades do Palácio do Planalto neste momento. Na ocasião, também serão apresentadas e debatidas as sugestões de alteração dos parlamentares à chamada lei de repatriação, conforme antecipou o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor. 

O conjunto de mudanças às regras da Previdência será encaminhando pelo governo até o fim da semana. As alterações à lei de repatriação e a PEC do Gasto já estão em tramitação na Câmara. Em outra frente de negociações, os deputados governistas intensificarão amanhã as discussões sobre essas propostas prioritárias para o governo em novo encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM­RJ), na residência oficial. 

A reunião de hoje também será um esforço do presidente Temer na tentativa de unificar sua base de apoio após divergências e divisões entre os partidos aliados, notadamente entre PSDB, DEM e PPS e outros partidos do chamado Centrão. O jantar promovido por Temer ocorrerá em meio à debandada de parlamentares para as respectivas bases eleitorais às vésperas da eleição municipal em primeiro turno, no próximo domingo. A presença dos parlamentares, por sua vez, é entendida como um gesto de lealdade dos partidos ao presidente, na avaliação de interlocutores governistas. 

Temer fará o encontro no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, desocupada após o impeachment da ex­presidente Dilma Rousseff. Temer decidiu convocar o jantar em uma tentativa de unificar a base aliada, que ainda mantém as sequelas da eleição de Rodrigo Maia (DEM­RJ). Poucas horas antes do jantar, Temer fará uma espécie de reunião prévia, para alinhamento de discurso entre a equipe. Um dos líderes que comparecerá ao jantar de hoje confirmou ao Valor o ambiente de divisão sentido nas últimas semanas na base de apoio ao governo Temer no Congresso.

"A verdade é que o presidente tem duas bases aliadas. O bloco que a imprensa chama de Centrão. E o bloco formado por PSDB, DEM e PPS. E eles acham que são melhores do que a gente", diz o líder, que integra o Centrão. O bloco, fundado pelo ex­presidente da Câmara e deputado cassado, Eduardo Cunha (PMDB­RJ), saiu derrotado da eleição para o comando da Câmara, após a vitória de Maia sobre Rogério Rosso (PSD­DF).