Notícias

Haco completa 88 anos

Alcançar o 88º aniversário de atividade não é uma tarefa fácil. Já que de acordo com uma pesquisa do IBGE, mais da metade das empresas brasileiras fecha suas portas quatro anos após a fundação.  Contrariando as estatísticas, a catarinense Haco – fabricante de soluções para identificação em artigos da moda – celebra a idade em 2016 buscando alternativas e inovações para manter seu coração sempre jovem.  Em uma das ações comemorativas, a companhia abriu as portas de seu parque industrial, em Blumenau, no início de agosto, para debater sustentabilidade, produção, processo criativo, gestão familiar, o futuro da indústria têxtil e de confecção, entre outros temas.

Denominado “Trend Garden”, o evento contou com o apoio e participação da Abit, que representada pelo diretor superintendente, Fernando Pimentel, realizou uma palestra, no dia 11 de agosto, sobre o setor. O executivo apresentou informações como faturamento, perspectivas e possíveis caminhos futuros. "A cadeia têxtil brasileira é a mais completa do hemisfério ocidental. Nenhum outro país da região tem todos os elos da cadeia, como o Brasil", destaca. Além disso, Pimentel destacou a importância de empresas históricas no desenvolvimento do parque industrial do País. “A Haco traz a resistência e a criatividade que fazem nossa moda diferenciada, jusante e pujante”, declarou.

História

Adquirida em 1928 pela família Conrad, vinda da Alemanha, a pequena fábrica de cadarços de algodão na Vila Itoupava, Blumenau. Na época, com dez funcionários e seis teares. Hoje com dois mil colaboradores, cinco parques fabris, sendo um em Covilhã, em Portugal, e 800 máquinas em pleno funcionamento, a Haco busca um novo posicionamento de marca. Para isso, procura aumentar o relacionamento com os clientes e vem desenvolvendo ações como o “Trend Garden”.

Chegar a este patamar exigiu criatividade e flexibilidade, pois a empresa passou por momentos turbulentos na história, como a Segunda Guerra Mundial.  A dificuldade em recebimento de equipamentos motivou a criação de teares manuais feitos pelos próprios colaboradores da Haco e que permanecem em atuação até os dias de hoje, tornando-se os mais antigos em atividade em toda a América Latina. As máquinas (lançadeiras) são responsáveis por tecer os produtos mais caros e elaborados do portfólio. “Essa foi a alternativa encontrada pela direção na época para não ter a produção prejudicada. Assim, temos aqui a formação de mão de obra interna para a manutenção desses equipamentos”, atribuiu Bruno Brandão, gerente de Marketing Comercial.

É assim que a companhia une a tradição e pioneirismo com novas tecnologias, como as etiquetas RFID – Identificação por Rádio Frequência - que otimiza processos logísticos , reduzindo custos operacionais e aumentando a segurança dos produtos.  De acordo com a fabricante, o aumento de contagem de produtos passa de 200 itens por hora para 20 mil artigos.       

Com tecnologia em pleno funcionamento, os investimentos da Haco agora se voltam em aproximar pessoas e interligar e conhecimentos.  “A criação do Trend Garden é algo em que apostamos fortemente para mostrar transparência nos processos e aprimorar nosso approach com clientes, fornecedores, entidades de classe e universidades”, afirma Bruno Brandão.

Foram três dias de evento que reuniu mais de 300 participantes, entre empresários de diversas regiões do País, estudantes, estilistas, especialistas, entre outros, no jardim da fábrica em Blumenau, onde ocorreram palestras, networking e debates. A estrutura ainda contava com um espaço de coworking e ao final de cada dia da ação, os convidados puderam fazer um tour guiado pelas instalações.

(Com informações da Abit



Compartilhe:

<< Voltar