Segundo semestre com projeção favorável para a indústria têxtil

Veículo: Notícias do Dia 

Seção: Notícias 

Segundo avaliação do presidente do Sintex, Ulrich Kuhn, mercado vive momento de estabilização e há boa projeção para vendas no final deste ano após o varejo se capitalizar com o Inverno.

A pior fase para a indústria têxtil catarinense já passou, segundo avaliação do presidente do Sintex (Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau), Ulrich Kuhn. Depois de uma queda expressiva nas vendas, na produção e no emprego do setor em 2015, este ano a indústria têxtil está passando por uma redução menor e caminhando para a estabilização. Além disso, o Inverno com frio para valer em 2016 está favorecendo os negócios para este segundo semestre. "O varejo se capitalizou e ele entra, principalmente na parte final do ano, mais capitalizado e com vontade de comprar. Acho que por causa disso e da estabilização da economia teremos uma retomada neste segundo semestre", comentou para a coluna após reunião do Conselho Estratégico da Fiesc na semana passada. De acordo com Kuhn, a perspectiva até o final do ano é melhor do que o estimado anteriormente e a reta final de 2016 promete ser melhor para a indústria têxtil do que foi o mesmo período de 2015 e o primeiro semestre deste ano. 

Mais emprego

Sobre a recuperação dos empregos em Blumenau ­ a cidade lidera entre janeiro e maio a geração de empregos no Estado ­, o presidente do Sintex afirma que as contratações no setor têxtil são explicadas pelo programa Jovem Aprendiz. "Isso é um ciclo, sempre no começo do ano isso acontece. Não propriamente há uma recuperação da atividade", explicou Ulrich Kuhn. Mas ele acredita em um cenário mais positivo para 2017. "No próximo ano a curva vai começar a reverter. Estamos agora na fase de acomodação e Blumenau está bem nesse cenário. O humor mudou, mas há etapas para vencer ainda", observou.