Notícias

Desemprego é realidade da indústria e deve continuar

Somente em Santa Catarina foram fechados 49.136 postos de trabalho na indústria de transformação, de março de 2014 até fevereiro deste ano.

O primeiro trimestre aparentemente positivo com relação ao emprego em Santa Catarina é uma distorção histórica neste indicador, conforme destaca o diretor executivo do Sintex – Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário, Renato Valim. “Todos os anos, até março, são recontratados os menores aprendizes, uma exigência no País, que obriga as empresas a terem até 15% do seu quadro com estes trabalhadores”, explica. Para Valim, este é o principal motivo para o qual os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Previdência Social ficou positivo nos três primeiros meses de 2016.

O executivo destaca que na indústria têxtil e de vestuário catarinense, segundo o Caged, de abril de 2014 a março de 2015 foram fechados 2.872 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses de 2015/2016, foram fechados mais 12.910. O saldo de 2014 até março deste ano são 15.782 postos de trabalhos fechados no setor.

A indústria de transformação de forma geral também registrou resultados negativos em Santa Catarina. De abril de 2014 a março de 2015, foram fechados 4.401 postos de trabalho. No mesmo período, de 2015 a 2016, foram mais 44.735 fechamentos de vagas, em um saldo negativo de 49.136 postos fechados em indústrias catarinenses. Somente em Blumenau, neste mesmo período, foram fechados 6.929 postos de trabalho na indústria de transformação, de um total de 7.675 postos fechados no estado.

Levando-se em conta o cenário nacional da indústria têxtil e do vestuário, foram fechadas 144.149 vagas nos últimos dois anos. Na indústria de transformação, quase um milhão de vagas foram fechadas: 957.173. 



Compartilhe:

<< Voltar