Notícias

Trabalhadores e empregadores concordam sobre o mínimo regional

O diretor-executivo do Sintex, Renato Valim, participou da reunião que estipulou o novo salário mínimo regional, no dia 22 de março, em Florianópolis. Fiesc, Fecomércio, Fetrancesc, Faesc, Fehoesc e representantes de centrais sindicais laborais de Santa Catarina participaram da negociação. Os pisos acordados para as quatro faixas foram de R$ 1.009, R$ 1.048, R$ 1.104 e R$ 1.158. O índice médio de reajuste foi de 11%.

Para os trabalhadores nas indústrias do vestuário e calçado; de fiação e tecelagem; e de artefatos de couro, o salário mínimo regional ficou em R$ 1.048,00, o que representa um reajuste de 11.3%.

Agora, os valores acordados serão encaminhados ao governador Raimundo Colombo para elaboração do projeto de lei e envio à Assembleia Legislativa (Alesc), que realiza os trâmites necessários para que a lei que oficializa os novos valores seja sancionada.

 

Santa Catarina é o único Estado da Federação em que o mínimo é definido por meio de negociação, o que já ocorre há seis anos. Entre os participantes da negociação estiveram presentes, pelo lado empregador, Fiesc (Federação das Indústrias); Faesc (Federação da Agricultura); Fecomércio (Federação do Comércio), Fetrancesc (Federação das Empresas de Transportes de Cargas) e Federação dos Hospitais (Fehoesc). Entre as instituições que representaram os trabalhadores estiveram Fecesc, Fetiesc, Fetiaesc, Força Sindical, Nova Central dos Trabalhadores, UGT, CUT, Fetaesc e Dieese.

 

“Foi uma negociação, extensa, difícil e densa, mas prevaleceu o entendimento que as partes têm que negociar”, afirmou o presidente da Câmara de Relações Trabalhistas da Fiesc, Durval Marcatto Júnior, destacando o atual cenário econômico e político pelo qual o Brasil passa.

Mais informações no site da Fiesc http://fiesc.com.br/noticias/trabalhadores-e-empregadores-tem-consenso-sobre-minimo-regional-2016

(foto: Heraldo Carnieri)

 

 



Compartilhe:

<< Voltar