Wal-Mart financia inovação têxtil

Veículo: Portugal Têxtil

Seção: Breve

Como parte dos esforços em curso para aumentar a produção nos EUA, o Wal-Mart atribuiu 2,8 milhões de dólares (2,6 milhões de euros) a cinco universidades pelo seu trabalho em inovação na produção têxtil. O US Manufacturing Innovation Fund foi anunciado em 2014 e irá atribuir 10 milhões de dólares em bolsas ao longo de cinco anos.

Na segunda ronda de financiamento, o Wal-Mart indicou que as universidades foram selecionadas pelo seu trabalho na redução dos custos da produção têxtil, incluindo têxteis-lar e vestuário, nos EUA e na melhoria dos processos de produção em vários produtos de consumo.

Entre os projetos apoiados estão o tingimento mais ecológico de tecidos através de estamparia digital contínua e tintas com biopigmentos da Universidade do Oregon, assim como o projeto de melhoria da eficiência da tecelagem da Universidade da Carolina do Norte.

A investigação na Universidade Clemson está focada na redução de energia e efluentes através do tingimento inovador de tecidos de poliéster, a Universidade do Texas, em Austin, está a investigar a inspeção de defeitos no tecido enquanto este está ainda no tear através de sensores de imagem por contacto e a Cornell University está a investigar resíduos têxteis pós-consumo e substitutos de matérias-primas para novos têxteis. «Através destas bolsas esperamos ajudar a remover as barreiras à revitalização e crescimento da produção de vestuário nos EUA, ao mesmo tempo que são criados processos de produção mais sustentáveis», explicou Kathleen McLaughlin, presidente da Wal-Mart Foundation e diretora de sustentabilidade no Wal-Mart.

O fundo de inovação faz parte do compromisso do Wal-Mart de ajudar a revitalizar a produção nos EUA e, até 2023, o retalhista pretende comprar mais 250 mil milhões de dólares em produtos que apoiem empregos nos EUA.