Sintex emite nota sobre situação do mercado têxtil no Brasil

Veículo: Informe Blumenau

Seção: Notícias

POR: ALEXANDRE GONÇALVES 22/01/2016

Um dia depois do anúncio do fechamento da unidade da Malwee em Blumenau, com a demissão de cerca de 300 trabalhadores, o Sintex emitiu uma nota oficial sobre a retração do mercado têxtil do Brasil. Assinado pelo presidente Ulrich Kuhn, a nota diz que pouco mais de 1,5 milhão de vagas de emprego foram fechadas em 2015, o pior resultado em 23 anos.

Confira o texto na íntegra:

COMUNICADO

O Sintex – Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário lamenta a retração das indústrias do segmento, localizadas em sua base territorial, com evidências como o fechamento de duas unidades fabris na região recentemente.

Ciente de que todo o setor produtivo vem se esforçando para manter suas atividades e a sobrevivência no mercado, cada vez mais acirrado; e com o Custo Brasil extremamente alto, por conta da alta carga tributária, instabilidade financeira e encargos trabalhistas diversos; a entidade se solidariza com as indústrias que tiveram que fechar suas portas e com os trabalhadores que perderam seus empregos. São tempos difíceis, mas que devem encontrar um novo equilíbrio em longo prazo, com uma gestão voltada para inovação e criatividade.

Infelizmente, a conjuntura econômica e política apresenta cenários negativos desde meados de 2014 e continua sombria para os próximos dois anos. O mercado de trabalho brasileiro fechou 1.542.371 vagas no ano passado, o pior resultado desde 1992.

A taxa de demissões no setor têxtil foi a maior de todas entre o 4º trimestre de 2014 e o 3º trimestre do ano passado. O segmento teve 16,3% da força de trabalho cortada no período, conforme dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgados no dia 15 de janeiro e baseados nos números da Pnad Contínua (IBGE).

As demissões superaram as contratações, consequência da retração na atividade econômica, concorrência com outros países, a variação do dólar, a alta carga tributária e o aumento da cobrança de energia, entre outros fatores.

Para somar forças, unir competências e buscar representatividade, o Sintex fomenta ações estratégicas e a criação de comissões técnicas que se esforçam para encontrar soluções para cada um dos desafios do setor, traduzindo a verdadeira vocação do associativismo, que é a de unir forças para multiplicar resultados. Deve ficar sempre a certeza de que, em algum momento, que seja o mais breve possível, olharemos o amanhã com menos preocupação e mais otimismo.

Ulrich Kuhn

Presidente do Sintex