Têxtil: opção para superar desânimo

Veículo: Diário do Nordeste

Seção: Negócios

Na visão do secretário de Assuntos Internacionais do Governo do Ceará, Antonio Balhmann, o setor têxtil e de confecções no Brasil ficou numa situação tão difícil e sem competitividade com a entrada de produtos chineses, tailandeses e de outras nacionalidades, que não conseguiu pensar em exportação, pois ficaram preocupados com a competição interna. "A superação do desânimo para o setor têxtil pelo, que estou entendendo, é a ZPE", analisou. Para ele, a ZPE permite que o setor volte a sonhar em ter um mercado exportador.

Num primeiro momento, a curto prazo, o presidente do Sindicato da Indústria de Fiação e Tecelagem em Geral do Ceará (Sinditêxtil), Germano Maia, vê uma possibilidade com a ZPE para o segmento da confecção, pelo investimento ser menor do que no ramo têxtil para iniciar uma fábrica. "É bom principalmente para empresas que já tem negócios com o mercado externo", avalia. Maia ainda acha necessária a flexibilização de algumas regras como a de ter que manter 20% do produto no mercado local. "O caminho é transformar o Brasil numa grande ZPE. Desonerando a indústria para trazer o crescimento e o Produto Interno Bruto (PIB)".

Grande aposta

Para o presidente da ZPE Ceará, Mário Lima Júnior, a ZPE no é uma grande aposta em 2016 para o Estado e também para o empresariado local, nacional e internacional. "Vemos que neste momento, em que a economia passa por um momento histórico de ajuste, o conhecimento desta nossa alternativa com a ZPE é importantíssimo", afirmou.

Para isso, estão avançando gradativamente em infraestrutura e na recepção destes novos investimentos. O projeto da ZPE no Ceará está na vanguarda do programa brasileiros de ZPEs, de acordo com a secretária-adjunta de um dos conselhos do Mdic, Thaíse Dutra. "Nós o consideramos como prioritário no desenvolvimento regional e de apoio às indústrias. Estamos empenhando em dar todo suporte ao Estado, à empresa administradora e na atração de novas empresas que queiram se instalar", afirmou Thaíse.