Em encontro com ministros, FIESC defende melhorias nos portos de SC

Veículo: FIESC

Florianópolis, 04.08.2015 – O incentivo a navegação de cabotagem e o aumento no número de fiscais sanitários foram algumas das principais reivindicações feitas pelo presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, aos ministros dos Portos, Edinho Araújo, e da Agricultura, Kátia Abreu. O encontro foi realizado durante o evento SC Acelerando a Economia - Edição Portos, realizado nesta terça-feira (4) em Florianópolis.

Em sua argumentação, o industrial citou a situação de Itajaí. “Hoje o Porto de Itajaí trabalha sob regime de emergência. As fiscalizações são feitas apenas três vezes por semana, o que prejudica o funcionamento do porto”, afirmou Côrte.

No evento, a secretaria de Estado da Fazenda, a Fatma e o BRDE assinaram um acordo para agilizar a emissão de licenças ambientais para obras de implantação e expansão de infraestruturas de portos. A aceleração dos processos de licenciamento, e a construção de um diagnóstico de desafios e oportunidades do setor, também anunciada nesta terça-feira, integram a nova agenda de portos do governo do Estado, que recebeu contribuições técnicas da FIESC. A Federação, segundo o secretário de Estado da Fazenda, Antonio Gavazzoni, é uma grande parceira e fomentadora do trabalho do governo no setor.

“Não estamos permitindo que a crise paute as nossas ações. Trabalhamos focados nas soluções. E a exportação, através de portos eficientes e competitivos, é instrumento valioso para alcançarmos este objetivo”, defendeu Côrte.

Também foi anunciada a criação de um grupo de trabalho para elaborar o Zoneamento Ecológico-Econômico da baía da Babitonga. As informações obtidas pelo levantamento serão utilizadas para qualificar futuros investimentos na região, garantindo seu uso racional.

O evento contou ainda com a assinatura de dez protocolos de intenção de instalação e ampliação de empresas no Estado. A previsão de investimento para os próximos três anos é de R$ 2,7 bilhões, o que deve levar a geração de 650 empregos nos municípios de Itajaí, Otacílio Costa, Brusque, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Chapecó e Corupá. Entre as indústrias envolvidas está a Irmãos Fischer, de Brusque, que anunciou a ampliação de sua linha de produção.