Exportação perde força e produção industrial do Japão cai 2,2% em maio

Veículo: Valor

Seção: Economia

TÓQUIO - ­ A produção industrial japonesa caiu 2,2% em maio ante o mês anterior, informou o Ministério da Economia, Comércio e Indústria nesta segunda­feira, diante do impacto sofrido pela indústria de transformação com as exportações japonesas para outros mercados da Ásia perdendo força. A queda foi maior do que a prevista pelos economistas consultados pelo “The Wall Street Journal” e pelo “Nikkei”, de 0,8%.

Os números de produção industrial mais lentos em maio sucedem os dados sobre consumo divulgados na última sexta­feira, que sugerem que a economia está crescendo “aos trancos e barrancos”, sob inflação próxima de zero, mercado de emprego apertado e consumo das famílias em ritmo mais baixo que o previsto, resultados ainda de uma recessão sofrida pelo país em dois trimestres do ano passado.

Os analistas apontam que é preocupante a recente desaceleração nas exportações frente à perda de dinâmica em toda a Ásia, incluindo China, Coréia do Sul, Indonésia e Tailândia. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério, a produção deverá aumentar 1,5% em junho e, em seguida, ter uma alta de 0,6% em julho. Vendas no varejo As vendas no varejo do Japão aumentaram 3% em maio ante o mesmo mês do ano anterior, segundo mês consecutivo de alta. Os números, divulgados pelo Ministério da Economia, Comércio e Indústria nesta segunda­feira, sofreram influência positiva de uma base de comparação mais deprimida.

Em maio do ano passado, o Japão havia acabado de passar por um aumento no imposto sobre vendas internas, o que prejudicou as vendas no varejo na ocasião. Os itens mais comprados pelos consumidores em maio deste ano foram eletrodomésticos, alimentos e roupas, segundo o Ministério. Já as vendas especificamente nas grandes redes de varejo subiram 5,3% em maio ante um ano antes, com o dado ajustado para a mudança no número de lojas, marcando também o segundo mês de aumento na comparação.

(Dow Jones Newswires)