Moda no Estilo Vegan

Veículo: Portugal Têxtil

Seção: Notícias

A marca de moda americana Esprit planeia alargar a sua primeira linha de sapatilhas vegan, em resultado de uma avassaladora resposta positiva dos consumidores. A linha de calçado feminino, que foi apresentada no verão passado, engloba agora 25 estilos diferentes, incluindo sabrinas, sandálias e loafers, assim como sapatilhas.

Aprovada pela organização ambiental Peta, a linha de calçado é feita com recurso a tecidos que não incluem produtos de origem animal, apresentando uma pegada de carbono inferior aos materiais resultantes de cultivo em fábrica – uma prática que produz, frequentemente, consequências ambientais negativas. Além de serem mais ecológicos do que o couro, os materiais vegan previnem, também, a castração e marcação de animais, corte da cauda, e outras práticas identificadas como cruéis pela organização.

As etiquetas incluídas nos modelos desta linha, impressas em inglês, francês e alemão, transmitem a seguinte mensagem: “Este produto foi concebido para ser gentil com os animais. É vegan, certificado pela Peta, o que significa que nenhum animal foi envolvido na fabricação deste produto”.

«Com o apoia da Peta podemos ser mais transparentes com o consumidor consciencioso e esperamos expandir esta colaboração», afirma Martin Krist, diretor global do segmento de calçado da Esprit. Por seu lado, Mimi Bekhechi, diretora-associada da delegação britânica da Peta, revela que «o sucesso dos designs vegan da Esprit é a prova da enorme procura por parte dos consumidores de todo o mundo por uma moda mais sustentável e amiga dos animais».

Esta notícia é a mais recente confirmação de que a moda vegan está lenta, mas seguramente, a tornar-se mais mainstream. Liderada por pioneiros da indústria da moda, como Stella McCartney, conhecida por excluir o couro das suas coleções de luxo, a tendência de um vestuário sustentável e ético está presente em todas as áreas do sector – e tem-se repercutido nos designs elaborados. No início do ano, Stella McCartney – anteriormente contra a promoção do que ela denomina «aparência de pele» - incluiu, pela primeira vez, pele sintética numa coleção, provando que os materiais e as técnicas existentes têm evoluído o suficiente para que essa possa, agora, ser classificada como um estilo luxuoso.

Da mesma forma que a utilização de peles falsas é agora a norma, as atitudes face à utilização de couro estão, também, a mudar, com um número crescente de entidades a disponibilizarem diferentes estilos de design, adaptados a diferentes orçamentos. Entre os recém-chegados e vanguardistas da indústria que adotam esta nova tendência, encontra-se a Wilby, uma marca premium britânica, especializada em bolsas de couro vegan, enquanto marcas já conceituadas, como a canadiana Matt&Natt e a britânica Beyond Skin, continuam a crescer.