MP cobra R$25Mi da Zara por trabalho degradante

Veículo: Textile Industry

Seção: Economia

Rede de roupas espanhola também foi multada em R$ 840 mil por descumprir compromisso de aperfeiçoar condições de trabalho em fornecedores; em 2011, fiscalização do Trabalho encontrou uma casa na Zona Norte de São Paulo onde 15 bolivianos viviam e trabalhavam em condições de semi-escravidão

A Zara foi autuada pela fiscalização do Trabalho em São Paulo por descumprir compromisso de aperfeiçoar as condições de trabalho de seus fornecedores.

Em 2011, uma equipe de fiscalização do Ministério do Trabalho encontrou uma casa na Zona Norte de São Paulo onde 16 pessoas, sendo 15 bolivianos, viviam e trabalhavam em condições de semi-escravidão. Eles produziam peças para uma fornecedora da marca de roupas espanhola.

A rede recebeu duas multas em abril, no valor de R$ 840 mil. Além disso, o MTE também encaminhou pedido ao Ministério Público do Trabalho para executar na Justiça a cobrança de R$ 25 milhões por descumprimento do acordo (TAC).

"A Zara tirou sua produção de São Paulo e levou parte para Santa Catarina, depois de a fiscalização apertar. A empresa pode ter doado R$ 7 milhões para construir o centro do imigrante paulista, mas não cumpriu a obrigação de melhorar a cadeia", diz o superintendente do Ministério do Trabalho em São Paulo, Luiz Antonio de Medeiros.