Aprenda Fácil: Titulação de Fios

Veículo: Textile Industry

Seção: Economia

Com o advento da internet, hoje contamos com um número absurdo de informações que temos a disposição no clicar de um mouse, porém muitas vezes esbarramos na dificuldade de encontrar textos que atinja nossas expectativas. Essa dificuldade aumenta ainda mais quando se trata de assuntos técnicos, por isso resolvi escrever esse texto sobre titulação de fios de uma forma resumida e simplificada, direcionada principalmente às pessoas que trabalham na área e gostariam de saber um pouco mais sobre o assunto.

A titulação de fios dentro do processo têxtil nada mais é do que a mensuração estimada de sua espessura (ou diâmetro, grossura, bitola, etc.). Essa é uma das principais informações que as indústrias de tecidos (malhas ou tecidos planos), irão utilizar para determinar o tipo de produto que desejam produzir. Nesse ponto alguém poderia perguntar:

Mas se a titulação é utilizada para medir a espessura estimada dos fios, porque não fazemos isso utilizando aparelhos de altíssima precisão que existem nos dias de hoje?

Consideramos essa prática quase que impossível basicamente por dois motivos:

1-      Fios têxteis em sua grande maioria possuem a característica de serem macios, flexíveis, e deformáveis, tornando muito difícil apurar uma medida precisa, até mesmo para aparelhos micrométricos.

2-      Os fios em geral são muito irregulares, ou seja, existe uma variação natural de seu diâmetro por toda sua extensão, o que torna essa medição ainda mais difícil.

Dessa forma, a melhor maneira de estimarmos a espessura do fio é através da titulação.

Existem dois grupos de sistemas para cálculo da titulação, o grupo direto e o grupo indireto, sendo que cada grupo possuem vários sistemas diferentes. Nesse texto irei descrever um sistema de cada grupo, porém o princípio é o mesmo para todos os outros.

A base para cálculo de qualquer sistema encontra-se em duas medias: massa (peso), e comprimento. A titulação nada mais é do que uma relação entre essas duas grandezas. Pois bem, vamos imaginar que temos dois fios de mesma matéria-prima com espessuras diferentes para determinar sua titulação. De cada fio retiramos uma amostra de exatamente 1.000 metros de comprimento. Ao pesarmos o fio “A”, verificamos uma massa de 20 gramas. Já o fio “B” apresentou uma massa de 30 gramas. Agora vamos raciocinar, se os dois fios possuem o mesmo comprimento, porém com massas (pesos) diferentes, o que poderia ter variado? Exatamente isso que você pensou, ou seja, sua espessura.

No exemplo acima podemos concluir que o fio “B” possui uma espessura maior que a do fio “A”, ou em outras palavras, o fio “B” é mais grosso que o fio “A”. Na verdade esse exemplo descreve o processo para o cálculo de título no sistema TEX, que é considerado como sistema de titulação universal. Nesse sistema a base de cálculo fixa o comprimento em 1.000 metros e a massa em gramas expressa o valor da titulação. Isso significa dizer que o fio que pesou 20 gramas possui o título TEX 20, e o que pesou 30 gramas seu título TEX é 30. Simples assim.

O sistema TEX pertence ao grupo direto de titulação, isso porque nesse caso, o título é diretamente proporcional à sua espessura, ou seja, quanto maior o título, maior é a espessura do fio. Já no grupo indireto a situação é inversa, quanto maior o título menor sua espessura.

Dentre os sistemas indiretos de titulação, um dos mais utilizados para fibras curtas (algodão e suas misturas) é o titulo inglês, ou Ne (Number English). Desenvolvido na Inglaterra durante a revolução industrial, o sistema utiliza as unidades de medidas padrão daquele país, ou seja, jardas para medição de comprimento e libras para medição de massa (peso). Na indústria daquela época, utilizava-se muito a prática de enrolar fios em meadas com a finalidade de prepará-los para determinados processos. Geralmente essas meadas eram enroladas em um comprimento fixo de 840 jardas. Essa medida era tão utilizada que acabou se tornando um padrão, ficou conhecida como “hank” (1 hank = 840 jardas). Quando surgiu a necessidade de desenvolver um sistema de titulação, logo se pensou em utilizar essas meadas para o cálculo.

A partir daí, foi empregado o seguinte raciocínio: utilizando uma balança de dois pratos, colocaram em um deles o peso de uma libra, e no outro as meadas de 840 jardas. O título equivaleria à quantidade de meadas necessárias para equilibrar os pratos da balança, ou seja, digamos que um determinado fio “C” necessitou de 20 meadas para corresponder ao peso de uma libra, então o título inglês (Ne) desse fio seria 20. Em outro exemplo, um determinado fio “D” necessitou de 30 meadas para corresponder ao peso de uma libra, então seu Ne é 30. Portanto, o título inglês de um determinado fio é o número de meadas de 840 jardas necessárias para corresponder ao peso de uma libra.

Aqui podemos perceber o motivo pelo qual o sistema inglês pertence ao grupo indireto de titulação, ou seja, quanto maior a quantidade de meadas necessárias para corresponder ao peso de uma libra, menor é a espessura do fio (mais fino).

Percebam que no sistema TEX, a medida constante é o comprimento (1.000 metros) tendo a massa como variável (o peso em gramas). Já no sistema inglês a constante é a massa (uma libra) tendo o comprimento como variável (quantidade de meadas de 840 jardas).

Espero ter ajudado com esse pequeno texto sobre o assunto.