País volta a contratar em março, mas não cobre série de demissões

Veículo: F. São Paulo

Seção: Mercado

O país voltou a contratar em março deste ano, interrompendo uma sequência de demissões que vinha desde dezembro.

Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quinta-feira (23) pelo Ministério do Trabalho, foram abertas 19,3 mil vagas. Em março do ano passado, o país criou 13,1 mil vagas.

De janeiro a março, houve o fechamento de 50,3 mil postos de trabalho. O resultado é reflexo da baixa atividade econômica, sentida mais intensamente nos setores da construção civil e da indústria.

A Operação Lava Jato, que paralisou obras no setor petroquímico, afetou em cheio o mercado de trabalho brasileiro, sobretudo em Estados como Rio de Janeiro e Pernambuco.

SETORES

Em março, o setor de serviços foi responsável pela contratação de 53,8 mil trabalhadores, compensando as demissões em segmentos da economia mais fragilizados.

Nesse setor, destacam-se as atividades de ensino, administração de imóveis, medicina e medicina veterinária, transporte e comércio.

Já a indústria de transformação (metalúrgica, mecânica, têxtil etc) fechou 14,7 mil postos, enquanto que em março do ano passado havia criado 5.500 vagas. O setor de construção civil fechou 18,2 mil postos.