Maternidade leva empreendedora a apostar em roupas infantis

Veículo: Textile Industry

Seção: Economia

O empreendedorismo é uma solução para muitos que têm uma ideia inovadora, buscam uma válvula de escape para trabalho tedioso ou precisam de uma alternativa para salário baixo. A ex-farmacêutica Luciana Póvoa, 37 anos, de Serra Negra, São Paulo, teve outro motivo: a maternidade. Foi para garantir o conforto das roupas de sua filha Melissa, nascida em março de 2010, que ela comprou uma confecção de roupas que estava prestes a fechar as portas em setembro de 2012. “Entrei em pânico quando fiquei sabendo que as peças deixariam de ser fabricadas, mas depois pensei na situação como uma oportunidade de abrir um negócio,” disse.

Luciana investiu R$ 20 mil para comprar máquinas de costura, balcões, linhas e tudo que a antiga dona da confecção estivesse disposta a vender. Hoje, a empresa, que conquistou a empreendedora pela qualidade de seus produtos, se chama Titétis. Ela se mudou para a garagem da casa de Luciana para acomodar equipamentos e duas costureiras. Os itens básicos do vestuário infantil, como calças e bodies, eram e continuam a ser feitos com ribana de poliviscose, um tecido macio e maleável. “Depois da maternidade a gente entra totalmente no universo infantil, mas fiquei ainda mais feliz porque sempre tive o sonho de trabalhar com roupas para crianças”, diz.

No começo de 2013, a empreendedora recebeu a proposta de uma amiga para se tornar sócia do negócio. Fernanda Ricco, também mãe, notou a qualidade dos produtos e se juntou a Luciana para lançar o site da Titétis. As duas consideraram uma loja física, mas perceberam que teriam muitos custos.

Além de entrar para o e-commerce, a dupla aumentou a linha de produtos, adicionando moletons, camisas de flanela para os meninos, babadores inspirados em bandanas e ampliando os tamanhos para crianças até 12 anos. “Os modelos novos são nossas criações. Somos mães e percebemos o que nossos filhos estão precisando e é assim que surgem as ideias”, afirma Luciana.Os filhos da dupla, Melissa e Gabriel, ficam encarregados de experimentar os lançamentos e dar seus palpites.

As duas buscaram apoio em blogs de mães para divulgar as roupas da Titétis. Elas enviam algumas peças para as blogueiras experimentarem e mencionarem em posts. Por trabalhar de casa, a solução se mostrou prática e tem mostrado bons resultados.

Luciana também não desgruda do Facebook e do Instagram para exibir as peças e dar atenção aos seus clientes — ela acorda às 7 horas para preparar o café da manhã já com o tablet em mãos. Enquanto sua filha dorme ou está na escola, a empreendedora consegue se concentrar na confecção. “Sou um pouco da Melissa e um pouco da Titétis”, diz. 

Em breve, a marca ganhará um novo site para atender o crescimento da demanda. Segundo Luciana, muitas pessoas voltam a comprar as roupas porque o atendimento é personalizado e cuidadoso. “Mães conseguem pensar no negócio não somente como algo que precisa dar retorno. Eu penso nos bebês que vão usar as roupas e acho que o crescimento vem dessa preocupação”, afirma.