Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 0,26% em fevereiro, diz IBGE

Veículo: Valor Econômico

Seção: Economia

RIO ­- O Índice de Preços ao Produtor (IPP) subiu 0,26% em fevereiro, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em janeiro, o IPP subiu 0,02%, revisado de uma alta de 0,13%. O IPP mede a variação dos preços dos produtos na porta de fábrica, sem impostos e fretes, de 23 setores da indústria de transformação. Em fevereiro de 2014, o IPP havia subido 0,54%.

Segundo o IBGE, a forte alta do dólar ­ de 7% em fevereiro ­ foi a principal causa para a elevação do índice no mês. Com isso, no acumulado no ano, o indicador sobe 0,28% e, nos últimos 12 meses, avança 2,74%, abaixo dos 3,01% verificados em janeiro. No mês passado, 17 das 23 atividades apresentaram variações positivas de preços, contra 16 do mês anterior.

Os maiores impactos positivos ficaram por conta dos alimentos (0,22 ponto percentual) e papel e celulose (0,10 ponto). O item alimentos apresentou a segunda maior taxa de toda série histórica, subindo em média 1%, influenciado pela variação da soja e da carne bovina no mês anterior. A forte subida do dólar impactou a alta do item papel e celulose, que variou 2,84% no mês.

Atividades de fumo (4,92%), outros equipamentos de transporte (4,43%), confecção de artigos do vestuário e acessórios (4,11%) e calçados e artigos de couro (3,91%) foram as quatro atividades que somaram as maiores altas do IPP em fevereiro.

Já outros produtos químicos (­0,33 ponto) e refino de petróleo e produtos de álcool (­0,27 ponto) ajudaram a conter o índice que mede a variação dos preços dos produtos na porta de fábrica, sem impostos e fretes, de 23 setores da indústria de transformação.

Ainda de acordo com o IBGE, em fevereiro, houve uma variação positiva de 0,65% em metalurgia, representando a sexta variação positiva nos últimos sete meses.