País bate recorde na compra de produtos importados

 

Veículo: Folha de São Paulo

Seção: Economia

O brasileiro está comprando cada vez mais bens importados. No terceiro trimestre do ano, 21,9% dos produtos industrializados consumidos no país vieram de fora, revela pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgada nesta segunda-feira (17).

É o maior valor desde 2007, quando a CNI iniciou a série estatística. Esse índice considera os últimos 12 meses, contados a partir de setembro.

A participação de importados na lista de produtos consumidos pelos brasileiros cresceu 0,8 ponto percentual no terceiro trimestre do ano em comparação com o mesmo período do ano passado.

O recorde se confirma depois de os dados do primeiro semestre – que indicavam uma participação de 22,5% de importados no carrinho de compras do brasileiro – ter sido revisado, para 21,7%.

Em comparação com o segundo semestre de 2014, o chamado Coeficiente de Penetração das Importações evoluiu discretamente (0,1 ponto percentual). Há uma tendência de redução no ritmo de crescimento desse coeficiente, que vem seguindo trajetória de alta desde o primeiro trimestre de 2010, aponta o estudo.

As exportações da indústria, apesar da desvalorização do real e da desaceleração do mercado doméstico, não parecem iniciar uma trajetória consistente de crescimento, indica a CNI.

Os setores que mais ampliaram a participação de produtos importados no consumo do brasileiro no terceiro trimestre foram: equipamentos de transporte, veículos automotores, metalurgia e vestuário.

EXPORTAÇÃO

A indústria aumentou em 0,8 ponto percentual o peso das exportações em sua produção, em comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

O chamado Coeficiente de Exportação da Indústria chegou a 19,4% no terceiro trimestre, no acumulado de 12 meses. Foi uma alta de 0,2 ponto percentual em relação ao segundo trimestre deste ano.

Em dólares, na comparação com o terceiro trimestre de 2013, o valor das importações da indústria apresentou queda de 1,1%. Quanto ao valor das exportações em dólares, as vendas externas de produtos industrializados tiveram retração de 0,4%.

Os segmentos da indústria que mais ampliaram as exportações proporcionalmente à produção foram - de equipamentos de transporte, metalurgia, indústria de madeira, couro e calçados.

TRANSFORMAÇÃO

Na indústria de transformação, que compreende indústria de produtos alimentícios, papel, automóveis, eletrônicos e refinarias, por exemplo, o coeficiente de penetração de importações manteve-se estável, em 20,3%, quebrando a trajetória de alta observada desde o segundo trimestre de 2010.

Quanto ao coeficiente de exportação desse segmento, o indicador variou de 15,5% no segundo trimestre para 15,6% no terceiro trimestre de 2014.