Prévia da inflação desacelera em julho, mas ultrapassa teto da meta em 12 meses

Veículo: O Estado de São Paulo

Seção: Economia

Apesar de ter desacelerado em julho para 0,17%, contra alta de 0,47% em junho, em 12 meses IPCA-15 subiu 6,51% e ficou acima do teto da meta do governo, de 6,50%

Com a ajuda de transporte e dos alimentos, a inflação prévia de julho desacelerou, registrando alta de 0,17% no mês contra avanço de 0,47% em junho. Apesar disso, no acumulado de 12 meses o Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) subiu 6,51%, porcentual acima do teto da meta do governo, de 6,50%.

Analistas ouvidos pela Agência Estado esperavam que o IPCA-15 ficasse entre 0,10% e 0,36%. A alta de 0,17% ficou abaixo da mediana de 0,20% estimada por eles. Para parte do mercado, a desaceleração da inflação mostra que a decisão do Copom de manter a taxa Selic inalterada foi correta.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou o índice, o IPCA-15 acumula taxa de 4,17% no ano. O IPCA-15 apura a variação de preços entre o dia 15 do mês anterior ao de divulgação e o dia 15 do mês de divulgação. Serve de referência para a inflação do mês completo, divulgada pelo IPCA.

Segundo o IBGE, os preços de Transporte caíram 0,85% em julho. O grupo foi o principal responsável pela desaceleração do IPCA-15 no mês, com um impacto de -0,16 ponto no índice final. Alimentação e Bebidas teve deflação (queda dos preços) de 0,03%, tendo tido um impacto no índice final de -0,01 ponto. Entre os produtos que ficaram mais baratos estão batata-inglesa (-13,23%), tomate (-11,63%), feijão-fradinho (-8,04%), cenoura (-7,67%), feijão-carioca (-7,44%), cebola (-6,36%), hortaliças (-5,33%), feijão-preto (-5,32%) e farinha de mandioca (-4,60%).

Efeito Copa. A pesquisa de julho do IPCA-15 captou a variação de alguns itens fortemente impactados pela Copa do Mundo, que se encerrou no dia 13. Esse foi o caso das atividades ligadas ao turismo. A alta das diárias de hotéis exerceu o principal impacto no IPCA-15, de 0,013 pontos. As diárias subiram 28,63% em julho.

Segundo o IBGE, Fortaleza se destacou pelo aumento de 57,95% nos valores das diárias, seguida de Brasília (45,74%). Com isso, o grupo Despesas Pessoais subiu 1,74%, ante uma alta de 1,09% em junho.