Inflação de São Paulo desacelera em maio e registra alta de 0,25%

Veículo: O Estado de São Paulo

Seção: Economia

Em abril, o IPC-Fipe havia apresentado avanço de 0,53%

SÃO PAULO - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, registrou alta de 0,25% em maio. Em abril, o IPC havia apresentado avanço de 0,53%.
A taxa acumulada em 12 meses avançou. De acordo com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o indicador acumulou ganhos de 5,36% em 12 meses até o mês passado, após 5,20% em igual período terminado em abril. No ano, de janeiro a maio, o IPC acumula alta de 3,02%.
A variação de 0,25% apurada pela Fipe no quinto mês do ano veio abaixo do piso das expectativas da pesquisa da Agência Estado, 0,27%, e que tinham como teto 0,35% (mediana de 0,32%). O resultado também contrariou a expectativa do coordenador do IPC, Rafael Costa Lima, de inflação de 0,35%. 
Os preços no grupo Habitação apresentaram a maior queda em maio, com deflação de 0,24%, ante queda de 0,17% na terceira leitura e inflação de 0,04% em abril. A categoria Transporte também registrou deflação: os preços caíram 0,04% em maio, de uma deflação de 0,02% na medição anterior e inflação de 0,16% em abril.
A alta dos preços nos grupos Alimentação, Despesas Pessoais e Saúde perderam força em maio. Em Alimentação, a inflação desacelerou para 0,73% no mês passado, de 0,90% na terceira leitura de maio e 1,23% em abril. Em Despesas Pessoais, a alta foi de 0,59% em maio, comparável a um avanço de 0,85% na leitura anterior e de 1,00% no quarto mês do ano. Da mesma forma, Saúde desacelerou para inflação de 0,79%, ante alta nos preços de 0,90% na terceira quadrissemana e aceleração de 1,15% em abril.
Os grupos Vestuário e Educação foram os únicos a registrarem uma aceleração inflacionária. Em Vestuário, os preços avançaram 0,54%, de uma alta de 0,07% em abril, embora menor que o avanço de 0,72% na terceira quadrissemana de maio. Já no grupo Educação a inflação ganhou força nas duas comparações: acelerou para 0,14% em maio, de 0,13% na leitura anterior e 0,08% em abril.