Atraso no plantio nos EUA faz preço do algodão subir

Veículo: Valor Econômico

 

Seção: Economia

O atraso no plantio de algodão nos Estados Unidos impulsionou as cotações da pluma no mercado internacional. Um provável aumento das importações da Indonésia também ajudou a alavancar os preços na bolsa de Nova York. Os contratos para julho encerraram o pregão de ontem em alta de 183 pontos (1,98%), a 94,06 centavos de dólar por libra-peso.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou nesta semana que a semeadura americana está atrasada ante a média dos últimos cinco anos, embora tenha avançado na última semana. De acordo com o órgão oficial dos EUA, que tem status de ministério, o plantio alcançou até domingo 13% da área projetada para a lavoura da fibra - avanço de 4 pontos percentuais ante a semana encerrada no dia 20. A média histórica para essa época do ano é de 18%. O levantamento considera o cultivo em 15 Estados, que representaram 98% da área cultivada no país em 2013.

 

 

Os estoques apertados nos Estados Unidos também têm oferecido suporte ao mercado, mas os papéis para julho têm oscilado também com a pressão baixista da possível redução da demanda chinesa pela pluma - ainda que os contratos estejam se mantendo acima de 91 centavos de dólar por libra peso.

O USDA também previu ontem que a Indonésia, um dos principais importadores de algodão do Brasil, deverá produzir menos na safra 2013/14, com produtores locais migrando para culturas mais lucrativas e com menor risco climático. O país asiático foi, em março, o principal destino das exportações de Mato Grosso, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Foram embarcados no mês para a Indonésia 6,8 mil toneladas da pluma, o equivalente a 48% de todo o volume exportado pelo Estado, maior produtor de algodão do Brasil.

Mas não foi somente a Indonésia que alavancou as exportações da pluma mato-grossense no mês passado. A Coreia do Sul importou 14% do total exportado pelo Estado. O continente asiático, segundo o Imea, foi o destino de 94% da pluma exportada por Mato Grosso no último mês.

O perfil exportador mato-grossense se estende aos números nacionais. Entre janeiro e março deste ano, a Indonésia foi o principal destino das exportações brasileiras de algodão. Segundo dados da Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea), foram embarcadas ao país asiático 28,2 mil toneladas, no período, o que resultou em uma receita total de US$ 54,3 milhões.