Tecido "técnico" ganha mercado

Veículo: Valor Econômico
Seção: Brasil
 
Por De São Paulo
 
As duas grandes indústrias do setor têxtil instaladas no Complexo Industrial de Camaçari produzem tecidos muito diferentes dos tradicionais do vestuário. A italiana BMD Têxteis e a turca Kordsa fabricam tecidos de uso industrial que dão consistência à fabricação de "tecidos técnicos" utilizados como matéria-prima na fabricação de lonas sintéticas para toldos, coberturas, encerados e pneus.
 
Em Camaçari desde 2000, a BMD Têxteis é uma empresa do grupo Maccaferri, multinacional italiana com mais de 135 anos no mercado. Os principais produtos são "tecidos técnicos", geomembranas e geogrelhas para atender desde o agronegócio até a construção civil. A empresa produz tecidos de urdidura com inserção de trama, utilizando fios de poliéster de alta tenacidade, utilizados no setor industrial. "Nosso objetivo é atender às necessidades técnicas dos vários mercados, dando ao produto final um excelente desempenho de alongamento, resistência à ruptura e ao rasgo", diz Richard Stefan, gerente geral.
 
Assim que começou a operar há 13 anos, a empresa passou a fornecer seus produtos para as principais indústrias de laminadores de PVC do Brasil. "Em 2002 abrimos clientes de exportação na Colômbia, Venezuela, Argentina e Uruguai e ampliamos nosso parque fabril", lembra Stefan. A empresa também registrou uma virada depois da crise global de 2008: "Investimos em programas de redução de custos e melhoria de processo, conquistamos a certificação ISO 9001 e desde então estamos focando no desenvolvimento de produtos para setores como automotivo, agronegócios, construção civil e soluções ambientais". A empresa conta com 150 funcionários.
 
A turca Kordsa, por sua vez, produz tecidos utilizados pela indústria automotiva, compostos por tramas sintéticas de fios de náilon e poliéster que entram na composição de pneus, mangueiras e peças de borracha de automóveis e caminhões que rodam por todo o país. Da Bahia, onde está desde 2005, a Kordsa adota uma estratégia comum ao mercado globalizado: crescer e atender de maneira mais eficiente as demandas locais. Operando atualmente nos cinco continentes, a empresa é líder global no setor de tecidos de reforço.
 
Os tecidos ou lonas de reforço são fundamentais na fabricação de pneus, garantindo segurança e durabilidade ao produto. A empresa atende às operações nacionais de empresas como Pirelli, Bridgestone, Continental, Michelin e Goodyear. Mais de 90% de sua produção é absorvida pela indústria de pneus. Uma parcela menor é utilizada na fabricação de tubulações que necessitam de reforço têxtil, correias e componentes de cintos de segurança e suspensões.
 
Em 2012 cerca de 15% da produção era destinada à exportação, atendendo mercados latino-americanos, como Venezuela, Chile, Colômbia, Peru e Argentina. De acordo com a empresa, a unidade industrial de Camaçari figurou, no ano passado, no terceiro lugar do ranking das maiores operações do grupo, atrás apenas de Istambul, sede da empresa, e Indonésia. O mercado brasileiro representava, em 2012, 13% do faturamento da empresa em todo o mundo, que chega a US$ 1 bilhão anuais.
 
Segundo o Cofic, a Kordsa tem capacidade anual de produção de 24 mil toneladas de lona cru, 20 mil toneladas de lona dipada e 8,5 mil toneladas de fios de náilon. A Kordsa é controlada pela Sabanci, segundo maior grupo empresarial da Turquia. (AA)