Crise no algodão em 2011 agravou situação financeira frágil de têxteis tradicionais de Brusque

Veículo: Jornal de Santa Catarina

Seção: Economia

 

O primeiro semestre de 2011 foi marcado pela crise em três das indústrias têxteis mais tradicionais do Estado. Na época, a Schlösser, a Buettner e a Fábrica de Tecidos Carlos Renaux, respectivamente, entraram na Justiça com pedidos de recuperação judicial. 
 
Entre 2010 e 2011, a forte alta do algodão, insumo básico das companhias, desequilibrou ainda mais os caixas das companhias que já estavam fragilizados. 
 
Outro motivo apontado na época como causa para a crise nas indústrias era a falta de modernização nas gestões. 
 
Recuperação judicial é uma forma legal de avaliar a empresa tem condições ou não de continuar em atividade e de reerguê-la. Se o plano de recuperação for aprovado, a empresa ganha fôlego para continuar funcionando. Porém, para que isso ocorra, a indústria deve apresentar um plano consistente comprovando que tem condições de recuperação. Ele precisa passar pelo crivo da Justiça, do Ministério Público e dos credores. 
 
No período em que está em recuperação, as atividades da companhia são fiscalizadas por um administrador judicial indicado pela Justiça. Se passar o período determinado para aplicação do plano e não houver recuperação, é decretada a falência da empresa.