Commodities sobem com estímulo à economia europeia

Veículo: O Estado de S. Paulo
Seção: Economia
Página:

Cenário: Filipe Domingues.

Medidas anunciadas ontem pela União Europeia para estimular a economia da região promoveram ganhos expressivos nos mercados, inclusive nas commodities agrícolas. O índice CRB, que reflete o desempenho de diversas matérias-primas - agrícolas, metálicas e de energia - avançou 4,55%. O suco de laranja disparou na Bolsa de Nova York e se destacou, fechando em alta de 6,56%, cotado a 121,75 centavos de dólar por libra-peso. O café saltou 4,69%, o algodão subiu 2,62% e o açúcar avançou 2,34%.

O principal fator de suporte foi a notícia do socorro a bancos espanhóis, que surpreendeu investidores porque a Alemanha era contrária. Assim, eles encontraram um momento mais favorável para se arriscar. O petróleo, importante referência para outros mercados, subiu 9,36% em Nova York. Também as ações registraram ganhos generalizados e o dólar, que costuma ser um porto seguro em momentos de incerteza e cautela, fechou em baixa em relação a cesta de moedas internacionais.

Para os grãos negociados na Bolsa de Chicago, a influência da economia foi ao encontro dos fundamentos. O clima adverso para as lavouras dos Estados Unidos tem despertado preocupações de que os campos de milho e de soja possam ser afetados e perder de produtividade. O contrato da soja para entrega em novembro subiu 1,73%, em meio a incertezas sobre a oferta. Pelas mesmas razões, o milho teve alta de 0,40%. Nesse contexto, dados do governo sobre área plantada e estoques divulgados ontem tiveram pouca influência.