CNI apresenta ao governo iniciativas de sustentabilidade do setor

Veículo: Valor Econômico
Seção:
Página:

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, documento que reúne iniciativas adotadas por 16 setores produtivos com foco no desenvolvimento sustentável nos últimos 20 anos. O relatório foi entregue pelo presidente da entidade, Robson Braga de Andrade, à ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e ao ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota.

De acordo com o documento, a inovação foi o principal fator a impulsionar a sustentabilidade no setor industrial brasileiro. Segundo Andrade, “a indústria fez seu dever de casa”. Para a diretora de Relações Institucionais da CNI, Mônica Messenberg, é importante agora estabelecer políticas que deem maior escala às ações.

Os setores que integram o documento são o sucroenergético, de alumínio, de papel e celulose, químico, eletro e eletrônico, de cimento, alimentício, de máquinas e equipamentos, têxtil, automotivo, construtor, elétrico, florestal, siderúrgico, minerador e petrolífero.

Sem metas do governo

O governo não vai estabelecer metas de sustentabilidade para a indústria, de acordo com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.“Não é o governo fixando metas. É a sociedade discutindo como é que queremos caminhar para a sustentabilidade e a indústria é parte disso”, disse. Segundo ela, é preciso entender onde estão as assimetrias entre as discussões de inovação tecnológica e de custos, em uma visão de médio e longo prazos nos novos modelos econômicos.

A ministra defendeu também a manutenção de competitividade para a indústria. Mas afirmou que a discussão não passa por cortes de tributos. Ela pediu ainda mais transparência em relação aos investimentos sustentáveis.

(Rodrigo Polito e Juliana Ennes | Valor)