Notícias

Risco de calote das empresas é o menor desde o fim de 2008

O risco de inadimplência das empresas brasileiras, medido pela qualidade do crédito, atingiu o menor nível no 1º trimestre deste ano desde o último trimestre de 2008, informou a Serasa Experian nesta sexta-feira (27).


O indicador subiu de 95,7 pontos, patamar que ocupava desde o quarto trimestre de 2010, para 95,8 pontos nos três primeiros meses deste ano. Já no quarto trimestre de 2008, o indicador marcou os mesmos 95,8 pontos do trimestre encerrado em março de 2012.

Os motivos que levaram à melhora da qualidade dos empréstimos e, assim, ao menor risco de calote das empresas, segundo os economistas da Serasa, são a queda contínua da taxa básica de juros (Selic) e dos bancos, a retomada gradual do crescimento da economia, o calote menor do consumidor e as medidas fiscais de estímulo à indústria.

As micro e pequenas empresas continuam como as que oferecem maior risco de calote, já que o indicador de qualidade de crédito está abaixo da média — 95,7 pontos. De acordo com a Serasa, "essas empresas, pelas suas próprias características, não conseguem financiamentos com taxas atrativas, assim como têm dificuldade em oferecer garantias".

Já as empresas de médio e grande portes possuem notas acima da média — 98,3 e 98,4, respectivamente.

Setores

Todos as atividades econômicas apresentaram melhora na qualidade do crédito na passagem do quarto trimestre de 2011 para o primeiro trimestre de 2012, segundo a Serasa.

Mesmo assim, indústria e comércio têm pontuação abaixo da média nacional e oferecem maior risco de calote. Já as firmas do setor de serviços tiveram 96,4 pontos no início de 2012 e são as empresas que menos oferecem chance de inadimplência.

Regiões

Para completar, o balanço mostra que as firmas do Sudeste têm menor risco de não pagar as contas em dia, seguidas de perto pelas do Sul. Em ambas regiões, a pontuação supera a média nacional.

Já no Nordeste e Centro-Oeste, as notas ficaram abaixo da média, o que denota que as empresas dessas regiões estão mais sujeitas a não pagar as contas em dia e dar calote. O Norte é último da lista, com 92,7 pontos e com o maior risco de inadimplência.
 
Fonte: Record


Compartilhe:

<< Voltar