Preços agrícolas e industriais puxam alta de 0,71% na prévia do IGP-M

Veículo: Valor Econômico
Seção: Brasil
Página:

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) avançou para 0,71% na segunda prévia de abril, aceleração ante a variação positiva de 0,35% registrada no mesmo período do mês anterior, segundo dados divulgados ontem pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A alta nos preços também é maior que a observada na primeira prévia, que registrou 0,50%. No ano, o indicador acumula alta de 1,33% e, em 12 meses, alta de 3,51%.

Na segunda prévia de abril, o Índice de Preços ao Produtor Amplo - Mercado (IPA-M), que responde por 60% do IGP-M, subiu 0,77%, de 0,32% na segunda prévia de março. O IPA agrícola subiu 0,94% (0,69% em março) e o IPA industrial registrou alta de 0,71%, bem acima do 0,19%, na mesma base de comparação.

Dentro do IPA, a inflação do item bens finais avançou de 0,25% para 0,68%, puxada pelos alimentos processados, cuja taxa passou de 0,43% para 1,34%. Em bens intermediários, a alta passou de 0,54% em março para 0,86% em abril, com maior influência de materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa passou de 0,77% para 0,96%.

Em matérias-primas brutas, a alta foi de 0,12% em março para 0,76% em abril, puxada por soja em grão (4,34% para 9,90%), minério de ferro (0,73% para 0,66%) e café (em grão) (8,04% para 6,14%).

O Índice de Preços ao Consumidor - Mercado (IPC-M) subiu 0,52%, ante 0,43% no mesmo período do mês anterior. A principal contribuição partiu do grupo vestuário, que subiu de 0,18% na segunda prévia de março para 0,96% em abril.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M), que tem 10% de participação, avançou 0,82%, de 0,29%. Os custos da mão de obra ficaram 1,13% mais altos nesta medição do indicador, ante 0,09% no mesmo período de março.