Marisol propõe OPA para fechamento de capital

Veículo: Valor Econômico
Seção: Empresas
Página:

SÃO PAULO -  A Marisol, que atua no segmento de vestuário e calçados infantis, anunciou a intenção de seu acionista controlador, a GFV Participações, de realizar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) das ações em circulação para cancelamento de registro de companhia aberta, segundo fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, Previ, que detém 16,6% do capital social da companhia , com 18,633 milhões de ações preferenciais, aceitou a proposta de vender a sua fatia por meio de uma operação na  bolsa, e a GFV decidiu estender a oferta aos demais acionistas.

A OPA será destinada à totalidade dos papéis em circulação,  correspondentes a 15.184.773 ações ordinárias (com direito a voto)  e 52.095.933 ações preferenciais (sem direito a voto), representativas de 59,94% do seu capital social. O preço a ser ofertado será de R$3,05  por ação, valor um pouco abaixo da cotação das ordinárias na bolsa, de R$ 3,30, e representa um prêmio de 5,15% em relação ao preço de fechamento da ação preferencial no último pregão de R$ 2,90. A Previ informou que concordou em aderir à OPA pelo preço da ação ofertado. No ano, o papel acumula alta de 2,2%, tendo registrado valorização de 8,8% em 2010.

O cancelamento do registro de companhia aberta está condicionado à aprovação dos acionistas detentores de mais de dois terços das ações que participarão da operação.

Caso ocorra a aceitação da OPA de fechamento de capital por titulares de mais de um terço e menos de dois terços das ações, a GFV irá adquirir no leilão até um terço das ações.