Emprego desacelera na indústria têxtil no acumulado do ano

Veículo: Valor Econômico
Seção:
Página:

SÃO PAULO - O saldo de vagas na indústria têxtil brasileira está em desaceleração neste ano em comparação com 2010. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), de janeiro a setembro o setor gerou saldo de 15 mil novas vagas. Em igual intervalo do ano passado o número foi significativamente maior: 65 mil novos postos de trabalho. O ano de 2011 vem sendo turbulento para o setor. Ainda segundo a Abit, de janeiro a setembro a produção física da indústria têxtil caiu cerca de 15% em comparação com o ano passado. O real valorizado e o aumento do preço do algodão no mercado internacional foram os principais motivos para a perda de competitividade da indústria têxtil, que assistiu neste ano as importações crescerem no mercado doméstico. Além disso, as exportações estagnaram. O cenário é bem diferente daquele registrado no ano passado, segundo Aguinaldo Diniz, presidente da Abit. “Este tem sido um dos piores anos da indústria nas últimas décadas. Tivemos um bom ano em 2010, com mercado interno aquecido e um crescimento no faturamento que, deduzindo a valorização cambial, chegou a cerca de 15% de 2009 para 2010”, afirmou. Em janeiro, a previsão da indústria de têxtil e confecção para o crescimento do setor neste ano era de 4%.