Governador de PE pede a Dilma que interpele EUA sobre lixo hospitalar

Veículo: Valor Econômico
Seção: Brasil
Página:

RECIFE – Diante da preocupação crescente de que o episódio envolvendo a importação de lixo hospitalar para Pernambuco prejudique os negócios do polo têxtil instalado no agreste do Estado, o governador Eduardo Campos (PSB) disse nesta terça-feira que pediu providências ao governo federal. Em mensagem à presidente da República, Dilma Rousseff, que está fora do país, Campos solicitou que seja cobrado do governo dos Estados Unidos esclarecimento sobre o envio do material para o Porto de Suape, 50 quilômetros ao sul do Recife. “São 22 mil empresários no polo de confecção que não podem ser prejudicados por apenas um”, afirmou o governador, que procurou também o Ministério das Relações Exteriores para tratar do tema. Segundo ele, o governo americano tem que identificar e apresentar os responsáveis pela logística da exportação de lixo para o Brasil. Campos se reuniu nesta terça-feira com representantes da Receita Federal, Vigilância Sanitária e Polícia Federal, órgãos envolvidos nas investigações sobre a importação do lixo hospitalar. Também participaram do encontro os prefeitos de Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e Caruaru, municípios onde foram encontrados galpões de armazenagem do material. No que pareceu uma demonstração de apoio aos empresários da região, o governador posou com uma camiseta na qual se lia: “Eu uso produtos do polo têxtil. Confecção é coisa séria, não é lixo”. Espalhado por 14 municípios, o polo emprega, segundo o governo estadual, em torno de 150 mil pessoas.