Mercado reduz projeção para crescimento do PIB brasileiro

Veículo: Brasil Econômico
Seção:
Página:


Os agentes de mercado consultados mantiveram a expectativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2011 a 6,52% pela terceira semana consecutiva.

Para o próximo ano, as instituições elevaram a estimativa do IPCA para 5,61%, frente a 5,59% na semana anterior.

Quanto ao Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI), a previsão para 2011 recuou para 5,92%, contra 5,95% previstos anteriormente. Para 2012, a previsão passou de 5,08% para 5,15%.

Já as projeções para o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) em 2011 foram mantidas em 5,87%. A estimativa para o próximo ano fica em 5,26% (antes era de 5,24%).

PIB

As instituições consultadas pelo BC cortaram a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011 para 3,42%, ante 3,50% estimado na semana anterior. Trata-se do segundo corte consecutivo nas estimativas. Há quatro semanas, a previsão era de um crescimento de 3,52%.

Para 2012, a estimativa também foi rebaixada, de 3,70% para 3,60%.

Câmbio

De acordo com o boletim Focus, a projeção para a taxa de câmbio foi mantida em R$ 1,75 ao fim deste ano. Há quatro semanas, contudo, as estimativas eram de R$ 1,65. Para 2012, a projeção é de que o dólar termine o ano também em R$ 1,75.

Selic

Pela quarta semana seguida, o mercado manteve a previsão para a taxa básica de juros do país (Selic) em 11% ao final deste ano.

Para 2012, os economistas consultados preveem que a Selic fique em 10,50% ao ano, ante a projeção de 10,75% apontada há quatro semanas.