Tubotech começa hoje e quer atingir R$ 800 milhões em negócios gerados

Veículo: DCI
Seção:
Página:

A turbulência no mercado financeiro mundial e a alta do dólar não desanimam os empresários no setor de tubos no Brasil. Hoje (4) começa a feira Tubotech, que tem como objetivo estreitar o laço entre fornecedores e clientes, além de trazer novidades do mundo da tubulação. Para este ano a expectativa é haver movimentação na casa dos R$ 800 mil durante os três dias de evento, o que representa uma alta de 25% ante aos R$ 600 milhões movimentados na última edição, em 2009. -

Um dos motivos para o desempenho animador foi refletido pela entrada de expositores estrangeiros na feira. Este ano, dos 450 expositores, 250 são estrangeiros, o que representa uma alta de 120% ante aos participantes da última edição.


"Contamos com 26 países participando do evento, o que também é uma alta de 70% no número de nações interessadas em negócios no Brasil", afirmou José Roberto Sevieri, diretor de Operações da Cipa Fiera Milano, organizadora do evento.


De acordo com o executivo, o momento que o Brasil vive é propicio para fechar negócios no setor. "Hoje, quase tudo que envolve indústria, serviços e agronegócios, esbarra em tubos, o setor vem acompanhando o crescimento da economia brasileira, e a feira vem para mostrar essas oportunidades aos executivos do segmento", continuou Savieri.


Este ano a área locável do evento, que acontece em São Paulo, no Centro de Exposições Imigrantes, também cresceu cerca de 40% e a expectativa é receber 18 mil visitantes de hoje até quinta-feira (6), o que representa alta de 8,4% se considerado o número de visitantes da última edição do evento.



Realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Tubos e Acessórios de Metal (Abitam), a Tubotech teve sua primeira edição em 2003. O número de expositores e a área ocupada pela feira aumentam significativamente a cada ano. "Esse crescimento reflete o sucesso do evento e o fortalecimento do setor. O encontro atrai cada vez mais expositores nacionais e internacionais e já é referência mundial", comenta José Adolfo Siqueira, diretor-executivo da Associação.


O evento é impulsionado pela conjuntura positiva do Brasil. Como conseqüência de seu desenvolvimento econômico e urbano, a demanda por produtos do setor de tubos crescem no país. De acordo com dados da Abitam, somente em relação aos tubos de aço, a produção nacional foi superior a 1,8 milhões de toneladas em 2010, com um faturamento em torno de US$ 5,4 bilhões, sendo que deste total US$ 405 milhões foram de exportações, que atingiram 200 mil toneladas vendidas. A expectativa é que a partir de novembro de 2011, a capacidade instalada para produção no Brasil ultrapasse 5,2 milhões de toneladas ao ano.