Tesouro diz que folga fiscal permitiria o corte da Selic

Veículo: O Globo
Seção:
Página:

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, reforçou ontem o coro em defesa da queda das taxas de juros como forma de estimular o crescimento da economia. Ao divulgar o resultado das contas públicas de julho, que mostrou um superávit primário recorde para o mês, ele disse que a política fiscal está fazendo o seu papel para ajudar o Banco Central (BC) a reduzir a Selic:

— Um resultado fiscal mais forte abre um espaço interessante para a política monetária. Quanto melhor estiver o resultado fiscal, melhores ficam as condições para que o BC avalie qual é a melhor política monetária. A política fiscal está contribuindo para que tenhamos uma situação de crescimento da economia mais equilibrada.

Como publicou o GLOBO ontem, o governo começou um movimento, endossado pelos principais ministros envolvidos com o setor produtivo, de pressão para que a autoridade monetária baixe os juros em 0,25 ponto percentual na próxima semana, quando se reúne o Comitê de Política Monetária (Copom).

O argumento é que o BC deve ser ousado ante a desaceleração da economia mundial. A presidente Dilma Rousseff quer que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça, ao menos, 4% este ano e 5%, em 2012. Mas os cálculos do governo apontam uma expansão este ano abaixo de 4%.