Flexibilidade cambial de Brasil e Uruguai ajuda na crise, diz vice

Veículo: Jornal do Brasil
Seção:
Página:

A flexibilidade cambial implementada no Uruguai e no Brasil nos últimos anos é o que ajuda a "esperar com tranquilidade" eventuais efeitos da crise financeira internacional, assegurou nesta quinta-feira o vice-presidente uruguaio, Danilo Astori.

Consultado pela AFP sobre uma eventual desvalorização do dólar no Brasil - o principal destino das exportações uruguaias - como ocorreu em 1999, Astori assegurou que ambos os países estão em uma situação "totalmente diferente".

"Estamos totalmente diferentes, eles e nós, e para isso a flexibilidade cambial foi fundamental, o que hoje o Brasil tem e que não tinha em 1999 e o que hoje nós temos e que não tínhamos em 1999", afirmou. "A flexibilidade cambial dos dois países nos ajuda a esperar (a crise) com tranquilidade".

O vice-presidente, economista de profissão, opinou que o Brasil está "muito sólido em suas políticas econômicas e financeiras".

"É claro que é um parceiro muito importante para o Uruguai e a relação com o Brasil, que é o parceiro comercial número um, vai ser extremamente relevante nesta nova etapa do mundo que começa, relevante para o bem", destacou.

Astori deu nesta quinta-feira - junto ao ministro da Economia uruguaio, Fernando Lorenzo, e o presidente do Banco Central, Mario Bergara - uma mensagem institucional aos parlamentares sobre a forma com a qual o país se preparou para enfrentar a crise financeira internacional.