Gerdau destina R$ 10,8 bi para atender aumento de demanda

Veículo: DCI
Seção:
Página:


A Gerdau está de olho no aumento da demanda de aço no mundo, principalmente em relação à China, que elevou sua participação no mercado de 38% para 46% nos últimos três anos. Para isso, a empresa brasileira pretende investir R$ 10,8 bilhões até 2015. "Atualmente, existe uma tendência de aumento do consumo de aço, principalmente nos países em desenvolvimento", disse ontem, em São Paulo, o diretor-presidente da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter. Ele reforça que a prioridade dos recursos é o mercado interno.

O executivo afirmou ainda que a atual crise no mercado internacional, que ganhou novas dimensões com o rebaixamento do rating da dívida dos EUA, não teve pedidos cancelados.

De acordo com Johannpeter, a principal estratégia da empresa para os próximos anos é utilizar sucata cativa, que representa 80% da demanda de aço no Brasil. Além disso, a Gerdau tem planos de atingir a autossuficiência em minério de ferro até 2012. Hoje, 30% da energia consumida pela siderúrgica vêm de geração própria, através das usinas Açominas e Hidrelétricas de Caçu e Barra dos Coqueiros.

Eventos como a Copa do Mundo, Olimpíada e o pré-sal prometem alavancar o consumo de aço, no Brasil, segundo o vice-presidente executivo de Finanças e Controladoria da Gerdau, Osvaldo B. Schirmer. "As obras serão de extrema importância para o setor nos próximos anos, assim como o PAC", afirma. Estimativas revelam que, nesse período, deve ser investido em infraestrutura cerca de R$ 177 bilhões. As perspectivas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), em 2011 - tanto da construção civil (5,2%) como da própria indústria, em geral (3,6%) - contribuem para aquecer o setor de siderurgia.

Apesar do aumento das vendas, no segundo trimestre em relação a igual período de 2010, a receita líquida da Gerdau teve queda em 2% de abril a junho, com alta de matérias-primas

A desvalorização cambial tem afetado a indústria do aço e toda a cadeia, segundo o executivo. "A nossa preocupação é a desindustrialização". Quanto ao aumento dos estoques nas montadoras, segundo ele, faz parte do ciclo da indústria automotiva. Ele negou ainda que haja interesse na Usiminas, mas não descarta possível parceria.

Minério

As exportações de minério de ferro subiram 3,5% no primeiro semestre ante igual período de 2010, totalizando 133,6 milhões de toneladas, segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Extração de Ferro e Metais Básicos (Sinferbase)