Viagens e calçados elevam custo de vida da classe média paulistana

Veículo: Folha de São Paulo
Seção: Poder
Página:

O custo de vida dos paulistanos de classe média subiu 0,03% em junho na comparação com o mês anterior e acumula alta de 6,16% nos últimos 12 meses. Os grupos com as altas mais expressivas foram despesas pessoais e calçados.

No semestre, alta registrada pelo ICVM (Índice de Custo de Vida da Classe Média) é de 3,35%, de acordo com divulgação da Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) nesta quinta-feira (4), em parceria com a OEB (Ordem dos Economistas do Brasil).

O preço de calçados e acessórios registrou variação de 2,14%, seguido de roupas masculinas (1,16%), femininas (0,79%) e infantis (0,26%). O único subgrupo que teve queda foi vestuário, resultante de promoções da coleção primavera-verão, aponta a Fecomercio.

Os itens viagem de excursão e passagens rodoviárias e aéreas com elevações de 2,03% e 2,01%, respectivamente, influenciaram a alta no grupo despesas pessoais ( alta de 0,79% ante 0,34% em relação ao mês anterior). Todos os subgrupos dessa classe de despesa aumentaram o índice em junho. São eles, recreação e cultura (1,10%), artigos de higiene e beleza (0,72%), fumo e bebidas com (0,55%), serviços pessoais (0,55%), e despesas diversas (0,46%).

O restante dos grupos registraram as seguintes elevações: habitação (variação de 0,32% em junho e 4,18% nos últimos 12 meses), saúde (0,36% em junho, e 6,54% em 12 meses), educação (0,05% em junho), transportes (-0,90% em junho e 7,15% nos últimos 12 meses e alimentação (-0,51% no mês e 8,39% em 12 meses.

O Índice de Custo de Vida da Classe Média (ICVM) do município de São Paulo é calculado no intervalo de renda entre cinco e 15 salários mínimos. O indicador é composto por sete itens: habitação (com peso de 32,4% na composição), transportes (18,2%), alimentação (17,8%), despesas pessoais (12,2%), saúde (8%), educação (6%) e vestuário (5,4%).