“Meta é valorizar a inovação”

Veículo: Diário Catarinense
Seção: Economia
Página:

“Meta é valorizar a inovação”


ENTREVISTA Glauco Côrte, vice-presidente da Fiesc

DC – Um novo programa específico para as indústrias é viável?

Glauco José Côrte – O que nós estamos propondo é um programa alternativo aos existentes. O Estado tem pelo menos dois programas bem estruturados: o Prodec e o Pró-Emprego. Mas como alguns destes programas estão sendo questionados, a Fiesc resolveu propor um programa que reduza a insegurança jurídica.

DC – Qual seria o diferencial?

Côrte – O programa que estamos sugerindo dá uma grande relevância aos investimentos em inovação para melhorar a competitividade das empresas catarinenses. Nós criamos critérios de seleção para que as empresas possam se enquadrar e critérios e metas que elas precisam atingir para continuarem no programa.

DC – Este novo programa substituiria algum dos existentes?

Côrte – Defendemos que a adoção dos programas deve ser optativa. Nenhuma empresa deve ser forçada a migrar dos programas atuais para um novo programa.